Deepland Festival 2017 – 01/04/2017 – São Paulo

Por: Diogo “Hell Insane” Matos

01 de abril. Gostaria que estivesse sido considerado o dia da mentira quando foi dito que Christian Death não tocaria mais na primeira edição do Deepland Festival, mas infelizmente essa notícia era verdadeira. Claro que muitos dos que estavam presentes na Fofinho Rock Bar já estavam cientes, porém alguns ainda não sabiam.

Mas isso não foi motivo para cancelamento do evento, já que, além da atração internacional do The Beauty Of Gemina, foi incluído no cast do festival as bandas Elegia, Homicidal Feelings, juntamente com as que já estavam confirmadas, Das Projekt e Baratas De Chernobyl.

Das Projekt. Foto: Vivi Carvalho.

A abertura ficou por conta do Homicidal Feelings, liderado por Giba Reys, veterano do movimento EBM/Industrial. O show foi apresentando músicas que passaram por toda a história do Homicidal Feelings desde o início dos anos 90.

A banda seguinte foi Baratas De Chernobyl, de Brasília, tocando aquele típico postpunk brasiliense, bem oitentista, lembrando 5 Generais, Legião Urbana e Paralamas do Sucesso. Depois entra no palco o Das Projekt tocando seu Goth Rock empolgante para toda a galera que já estava ali na pista. Tiveram uma apresentação excelente, apesar da falha de som que houve em alguns momentos, mas não deixando de agitar o pessoal, que colaborou cantando as músicas e dançando.

Elegia. Foto: Vivi Carvalho.

A banda que seguiu a sequência foi a Elegia, de São José dos Campos, tocando também um Goth Rock clássico muito bom, executando músicas da sua vasta carreira. Então chega a vez de The Beauty Of Gemina. O pessoal já estava na expectativa, e depois de uma intro a banda começa seu encantador eletronic dark goth, tocando músicas de toda a história da banda, como Seven-Day Wonder, incluindo novas do Minor Sun, versões no violão e a agitadora The Lonesome Death Of A Goth DJ. Show muito bem apresentado, com o carismático Michael Sele sempre agitando a galera.

The Beauty Of Gemina. Foto: Vivi Carvalho.

O evento contou também com DJs que tocavam nos intervalos entre as bandas. No térreo, havia exposição de materiais para venda, e no final do evento rolou até uma sessão de autógrafos e brindes. Foi um ótimo festival, ótimo cast, rolando tudo conforme a programação elaborada. Que venha mais Deepland Festival nos próximos anos (e se possível com Christian Death).

Veja a galeria de fotos desse show aqui.

Comentários

Você também pode se interessar por...