Overtures – Artifacts

Por: (Arte Metal)

Estes italianos, apesar de se auto-rotularem Metal melódico, fazem mais que isso. Não que a banda prime pela originalidade, mas é muito mais que velocidade, melodia e vocais agudos. Isso ficou comprovado gradativamente em cada lançamento (este é o quarto), sendo que a pompa veio de vez no anterior Entering the Maze (2013).

Mas, não há dúvidas que a banda atingiu seu ápice com Artifacts. Tudo que foi encaminhado e/ou ao menos demonstrado em seu antecessor aqui ganha vida. A sonoridade proposta mostra equilíbrio, coesão e muita pompa! Tudo bem produzido e sem nenhum exagero.

A começar, a banda traz elementos do Prog Metal, mas nada em excesso. Há variações interessantes e quebradas certeiras, porém as composições são objetivas e ainda trazem os clichês do Metal melódico. Ainda há arranjos muito bem encaixados e um flerte com a música erudita nas linhas de teclados.

O vocalista Michele Guaitoli impõe suas linhas com uma interpretação coerente e de muito bom gosto, o que só faz com que a banda ganhe pontos. É só ouvir faixas como Artifacts, Profiled, Unshared Worlds, a épica Teardrop e a selvagem Angry Animals para comprovar tais elementos. Um disco de muito bom gosto que não inventa em nada, mas acrescenta e muito.

Overtures - Artifacts

Nota: 9,0

Tracklist:

  1. Repentance
  2. Artifacts
  3. Gold
  4. As Candles We Burn
  5. Profiled
  6. Unshared Worlds
  7. My Refuge
  8. New Dawn, New Dusk
  9. Teardrop
  10. Angry Animals
  11. Savior

Links sobre a banda: 

Site / Facebook

Comentários

Você também pode se interessar por...