Por: (Arte Metal)

Desde a transição de seu debut “Winds of Creation” (2000) e o segundo disco “Nihility” (2002), os poloneses do DECAPITATED sempre adicionaram algo mais em sua sonoridade, mostrando que a banda sempre foi adepta a mudanças. Mas, isso foi acontecendo gradativamente, o que é sempre bem vindo, pois coisas bruscas sempre são perigosas.

Hoje, a banda soa totalmente diferente de seu início (apesar de leves resquícios do Technical Death Metal de outrora) e “Anticult” também já soa diferente de seu antecessor “Blood Mantra” (2014), porém de forma menos acentuada. Fato é que no novo trabalho, a banda mostra seu lado mais moderno e mais distante do Death Metal tradicional.

O que encontramos no disco são músicas que transitam desde o Groove Metal, Deathcore, passando pelo Melodic Death Metal, e que esbarram até nas batidas e levadas industriais a lá FEAR FACTORY (não em todos, mas em alguns momentos – ouça Kill The Cult), mostrando também que o grupo adotou de vez a versatilidade.

Bem produzido, o disco traz composições bem estruturadas e uma nitidez típica dos dias atuais. As composições variam seus ritmos e atraem na primeira audição, mas logo traz seu principal problema. Isto é, “Anticult” não emplaca, não fica na mente, não soa significativo e isso é um problema comum, mas grave para uma banda de nome como o DECAPITATED.

Não, não é a questão de o DECAPITATED não praticar mais o Death Metal brutal de antigamente, muito menos pelo fato de se enveredar pelos lados mais modernos, menos ainda pelos problemas que a banda enfrenta atualmente. “Anticult” é simplesmente um disco bom, mas que pode ser esquecido minutos depois de sua audição. Porém, ainda acima da média.

Decapitated - Anticult

Nota: 7,5

Tracklist:

  1. Impulse
  2. Deathvaluation
  3. Kill the Cult
  4. One-Eyed Nation
  5. Anger Line
  6. Earth Scar
  7. Never
  8. Amen

Links sobre a banda: 

Site

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.