Por: (Arte Metal)

Décimo primeiro disco de estúdio do Def Leppard. Apesar dos 36 anos de estrada, a banda até que gravou pouco material inédito, mas sempre esteve em cena e lançou dezenas de trabalhos em outros formatos, como ao vivo, coletâneas… Isso sem contar os ‘piratões’ por aí.

Quem conhece sabe que a banda de Joe Elliot e cia. é ‘tripolar’, afinal começou na New Wave of British Heavy Metal (NWOBHM), se tornou um dos ícones do Hard Rock ‘farofa’ mundial e se enveredou sem dó pro lado comercial Pop. Fato é que sempre foram competentes, apesar de não acertarem a cesta há quase quinze anos.

Neste primeiro álbum auto-intitulado a banda surpreende e retorna aos seus tempos áureos como se fosse logo ali. E, o mais surpreendente é como a banda conseguiu conectar isso com os tempos atuais e não soar datada. Praticamente tudo, toda característica da banda está neste álbum, até mesmo as mancadas de outrora.

A primeira faixa Let’s Go chega e já parece um clássico da banda, isto é, parece que os caras se ‘coverizaram’ e não é posto isso de forma pejorativa, muito pelo contrário, a composição chama logo para embarcar no disco que é de ótima qualidade. A segunda faixa, Dangerous, mantém a pegada, enquanto das seis primeiras faixas, apenasMan Enough destoa das demais, mas mesmo assim é uma ótima música com pegada Soul/Funk e um baixo de dar gosto.

A balada We Belong dá um descanso e mostra-se belíssima, parecendo uma trilha de algum filme dos anos 80. Em seguida Invincible e Sea of Love trazem o pique de volta e terminam esse início arrasador do disco. Depois, Def Leppard cai um pouco de ânimo, mas não pela falta de energia e sim de ‘feeling’, destacando apenas a pesadaBroke ‘n’ Brokenhearted e a balada acústica Last Dance.

Confesso que já não esperava que o Def Leppard gravaria um disco tão característico e legal como antes. Afinal, há uns 20 anos a banda não investia em algo ‘Hard’ de verdade e com tanta energia. Com certeza Def Leppard marca um retorno, mas não soa forçado. E o melhor de tudo? O selo brasileiro Shinigami Records vai distribuir o trabalho por aqui.

original

Nota: 8,5

Tracklist:

01. Let’s Go
02. Dangerous
03. Man Enough
04. We Belong
05. Invincible
06. Sea of Love
07. Energized
08. All Time High
09. Battle of My Own
10. Broke ‘n’ Brokenhearted
11. Forever Young
12. Last Dance
13. Wings of an Angel
14. Blind Faith

Links sobre a banda:

Site Oficial / Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.