Por: (Arte Metal)

Quem acompanha o DROWNED desde o início da sua carreira, sabe que a banda sempre ousou, mesmo fazendo uma mescla comum entre o Thrash e o Death Metal. Afinal, um grupo precisa de referências para construir sua sonoridade e depois trabalhar em cima da mesma como bem entender e assumir os riscos.

É por isso que desde a demo “Where Dark and Light Divide…” de 1998, a banda já mostrava suas características, com uma sonoridade própria, versátil e adotando melodias diferenciadas. Isso foi se alastrando pelos trabalhos seguintes, até que a banda passou por um período mais direto, porém sempre com sua pegada.

Seis anos após seu último álbum, “Belligerent – Part One: The Killing State of the Art” (2012), o quinteto de BH chega ao seu sétimo disco, que traz um nome óbvio, mas uma sonoridade nada comum. E, não é de se surpreender, afinal quem nunca sossegou em se reinventar, não seria agora que o iria fazer.

É interessante que quando ouvimos as bases e solos de guitarra, sabemos que estamos diante de um trabalho do DROWNED, afinal, os timbres, os riffs soam fieis ao que sempre propuseram, agressivos, mas na medida e os solos nem tão melódicos e nem tão intricados, mas na medida e oportunos. Enfim, o que o DROWNED sempre fez, mas com ainda mais técnica e amadurecimento.

O diferencial aqui está na cozinha, que se mostra mais versátil do que nunca, cheia de quebradas e andamentos variados, fazendo com que o som da banda adote uma tendência mais moderna. As linhas de baixo enriquecem os arranjos e a bateria é bem explorada, como pedem as composições, com leves ‘grooves’.

Fernando Lima, a voz da banda, também se mostra mais versátil e inclui em sua interpretação linhas mais brandas, partes limpas, porém prevalecendo a agressividade de rasgados e guturais. “7th” é um disco que soa homogêneo no quesito das músicas se completarem, o que dificulta um destaque ou outro, pois é necessária uma audição completa para compreendê-lo. Fato é que o disco fica melhor a cada uma delas. Ponto pro DROWNED.

Drowned - 7th

Nota: 8,5

Tracklist: 

  1. The Bitter Art of Detestation
  2. Rage Before Some Hope
  3. Toothless Messiah
  4. Murder, Sex, Hate, and More…
  5. Violent March of Chaos
  6. Damaged Wood Coffin
  7. Epidemic and God Selfishness
  8. Elitist Heaven Ruled by Devil
  9. Timebomb Conscience
  10. KRH317
  11. Ministry of National Inquisition

Links sobre a banda:

Site

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.