Por: (Arte Metal)

O JAVALI, outrora Pop Javali, chega em seu quarto disco trazendo como maior novidade sua alcunha. Até porque sua música continua soando característica e marca ainda mais território, além do que foi feito nos três discos de estúdio anteriores. E como sabem bem a fórmula esse trio.

Após um disco bem agressivo, “Resilient” (2017), o trio de Americana/SP chega com o peso adquirido, mas abrandando um pouco nas levadas das novas composições. O Hard Rock continua sendo o foco principal, sendo que a banda flerta em vários momentos com o Heavy Metal.

Melodias cativantes dão o tom das composições desde o início, sendo que o trabalho de guitarras feito por Jaeder Menossi mostra uma pompa impressionante, com bases consistentes e solos oportunos. É curioso ver como hoje o guitarrista é um dos melhores no estilo no país, mas não exagera e joga pelo time.

E por falar em técnica, ‘problema’ que atinge os três integrantes, o baixo de Marcelo Frizzo (também vocalista) nunca soou tão pulsante e fecha as lacunas com propriedade. Loks Rasmussen continua batendo firme e explorando seu kit de forma intensa. Aliás, o timbre da bateria está sensacional no disco.

Falando nisso, a produção a cargo de Thiago Bianchi (NOTURNALL) e da banda atingiu um nível acima da média e talvez seja o melhor som que o Javali conseguiu tirar entre todos os seus álbuns. No mais, é melhor não arriscar destacar uma faixa ou outra, porque quando o conjunto da obra fala mais alto, isso é um suicídio.

Nota: 8,5

Links sobre a banda: 

Site

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.