Por: (Arte Metal)

Uma das mais tradicionais bandas de Black Metal do nordeste, o MALKUTH sempre primou por fazer algo mais enraizado dentro do estilo. Com isso, sua música sempre primou pela qualidade, mas seus álbuns exageravam em produções rústicas, o que parecia fazer com que a banda não evoluísse nesse quesito.

Sete anos após seu último trabalho de estúdio, “Strongest” (2011), que ainda trazia estas características, o MALKUTH surge com “Voodoo”, sétimo trabalho inédito e completo da banda, e 15º no geral. E sejamos honestos, o disco chega como um divisor de águas na carreira dos pernambucanos.

Com uma produção muito acima do que sempre propuseram, o novo trabalho traz a banda também num senso criativo elevado. Antes que qualquer ‘enxerido’ torça o nariz e desconfie de ‘modernidades’ nas composições da banda, a essência do MALKUTH é mantida, só ganhando mais em qualidade sonora.

Rispidez nos riffs de guitarras e uma cozinha que comanda uma variação rítmica constante dão à tônica ao trabalho, que ainda conta com arranjos de teclados bem equilibrados e discretos, não deixando que sua música perca a agressividade para algo mais sinfônico.

“Voodoo” soa tão equilibrado, que dificulta em apontar faixas de destaque, porém é impossível ficar incólume a composições como Shoot to Kill (je$u$), Anticristum (Belicus), Voodoo (Demoni Invocation) e Shadows. Pode não ser um clássico como os dois primeiros discos da banda, mas sem dúvidas “Voodoo” é o disco mais completo do MALKUTH.

Malkuth - Voodoo

Nota: 9,0

Tracklist:

  1. Rite of Fullmoon Over the Sepultures
  2. Shoot to Kill (je$u$)
  3. The Old Blade
  4. Anticristum (Belicus)
  5. Dead (Cold as a Graveyard)
  6. Voodoo (Demoni Invocation)
  7. Dense Forest, Nocturnal Paths
  8. Place of Pain, Desolation, Sadness & War
  9. Shadows

Link sobre a banda: 

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.