Falar do Miasthenia é meio que “chover no molhado”, a banda Brasiliense de Black Metal, atualmente composta por Susane Hécate(vocal/teclado) e Thorminiak(baixo/guitarra), vem desde 1995 lançados discos com temática Pagã Nacional, ou seja, baseada em nossa cultura, nos Incas e outras culturas, originais da América Latina.

A banda no lançamento do disco Antípodas.

Em um contato com o produtor Ifall, a banda lança esse ano, Sinfonia Ritual, que vale lembrar, não é um disco de Metal, mas se tratando do Miasthenia, merece toda a nossa atenção.

Contendo 5 músicas, todas elas originárias dos discos Ancestral, lançado em 2008, Legados do Inframundo de 2015(esse disco é incrível) e Antípodas de 2017(outro petardo na carreira da banda). Cara, o produtor Ifall partiu das bases gravadas por Hécate e Thorminiak e elevou a atmosfera das músicas, o clima ritualístico xamã(nem sei se seria correto falar isso, mas…) e construiu uma trilha sonora ímpar para o que, se fosse colocado em um filme, seria perfeito!!

Vamos viajar com o Miasthenia para uma Resistência Indígena, contra o “descobrimento” das Américas no Séc. XVI, vamos imaginar as batalhas de “conquista” naquele período, a luta pela sobrevivência de tudo que eles conheciam e eram conectados, a profundidade de cada ser que aqui existia e foi colonizado, escravizado, se você conseguiu fazer essa viagem comigo, se você conseguiu sentir dor naqueles momentos, você estará pronto pra seguirmos a uma análise mais calma do disco.

5 músicas somente, Taqui Ongo, 13 Ahau Katún, Kayanerehn Kowa, Coniupuyaras e Deuses da Aurora Ancestral te guiam a tantos e tantos sentimentos que, se eu for destacar uma música e não falar desse trabalho como um todo, eu estaria sendo injusto, covarde ou mesmo infiel à grandiosidade desse trabalho. As músicas, mesmo sendo originárias de momentos diferentes do Miasthenia, nesse belíssimo trabalho feito por Ifall e o Miasthenia elas se unem criando uma aura única e ímpar, o disco ele te faz sentir angústia em certos momentos, te faz sentir forte em outros, as vezes fraco e mal e em outras passagens, dor. É singelo sentir isso tudo, sim é muito, mas uma audição em Sinfonia Ritual não é somente uma audição e sim uma viagem a um momento de mudanças pesadas, Sinfonia Ritual é sim um disco transcedental, é um disco, que como a carreira do Miasthenia pede, demanda atenção e calma pra entender o que eles querem te entregar com sua música e o fazendo, você terá uma experiência única e Sinfonia Ritual é uma experiência única.

Uma nota pra esse disco?? 10!!

Não tem como não levar esse lançamento do Miasthenia a um nível extremo, por mais que não seja Metal, por mais que você não ouça guitarras, teclados, vocais guturais, uma bateria “metrancuda” ou coisas que compõe o Metal, você aqui é levado a análises mais profundas, com uma música incrível, baseado em composições grandiosas e que, em Sinfonia Ritual, Ifall e o Miasthenia elevaram demais tudo, essa é uma experiência sensorial que, merece a atenção de todos no país.

Hécate, vocal da banda em foto de divulgaçao de Antípodas.

Augusto Hunter

TI, Headbanger e Redator desse estimado Portal.