Por: (Arte Metal)

Os italianos do Sadist, uma das bandas precursoras do famigerado Progressive Death Metal ao lado de nomes como Focus, por exemplo, retorna com um álbum de inéditas após 5 anos quando lançou o álbum Season In Silence (2010). E é com primazia que executa seu trabalho.

Procurando soar atual, mas não tendenciosa, a banda de Genova mantém suas características e destila composições intrincadas com objetividade e muita competência. Além dos elementos tradicionais de sua música, como linhas macabras de teclados, baixo excepcional e guitarras bem impostas, a banda adiciona novos elementos ao seu som, porém nada em demasia.

Um grande exemplo são as linhas de bateria com viradas típicas, mas inclusão de batidas de percussão e quebradas que incorporam momentos mais viajantes. Vocais rasgados característicos (mesmo com os outros vocalistas da banda) continuam clamando letras com temáticas voltadas aos sentimentos negros, filosofia, perversão e morte.

Com uma produção mais puxada para o lado orgânico, porém polida e sem tirar o peso, o principal trunfo da banda é conseguir ser versátil sem se alongar muito (prova disso é a média de 4 minutos de cada música), o que serve de exemplo para muitos que se perdem ao se enveredar por essa vertente. Álbum de quem ajudou a criar e saber fazer Progressive Death Metal.

hyaena

Nota: 8,5

Tracklist:

01. The Lonely Mountain
02. Pachycrocuta
03. Bouki
04. The Devil Riding the Evil Steed
05. Scavenger and Thief
06. Gadawan Kura
07. Eternal Enemies
08. African Devourers
09. Scratching Rocks
10. Genital Mask

Links sobre a banda:

Site Oficial / Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.