Por: (Arte Metal)

A banda SONGS OF OBLIVION teve um certo pioneirismo com o excelente EP “Nihilism”, lançado em 2016, ao apresentar-se como uma das primeiras bandas do chamado Blackgaze (mistura de Black Metal com Shoegaze) no Brasil. Tudo mostrando amadurecimento e conhecimento de causa.

Agora, o quarteto de Araraquara traz neste novo trabalho, além dessa gama, suas características mais fortes, arranjos mais trabalhados e muitos mais elementos de vários outros subgêneros. Só para o leitor se situar, além das influências de Blackgaze, o Dark Metal, o Depressive Rock e o Gothic se fazem presente no maior equilíbrio possível.

Fato é que Rodrigo Duarte (vocal/guitarra), Bruno Cassoni (guitarra), Douglas Ribeiro (baixo) e Fernando Turi (bateria) conseguiram se superar em todos os quesitos (composição, execução e produção), mas de uma forma natural e gradativa, sem perder a identidade da banda.

“Essência Obscura” traz uma sonoridade viciante, com um trabalho de guitarras (tanto de bases, quanto de solos) hipnotizante, uma cozinha que não deixa de ser densa mesmo diante de uma sonoridade melancólica, além de um clima depressivo que nos leva a uma reflexão profunda.

Um fator agregado no trabalho, é que as cinco composições soam independentes, mesmo assim se completam no disco. O trabalho vocal, com Rodrigo mais maduro e solto, tanto em suas linhas limpas quanto nos berros, conta agora com auxílio do baixista Douglas, que coloca seus urros e ainda enriquece ainda mais as músicas.

A produção, a cargo de Gabriel do Vale no Nova Estúdio, deu um salto imenso, trazendo a banda para um novo patamar, com timbragens e qualidade impecáveis. Difícil destacar um ou outra composição (de verdade), sendo que a banda emplacou mais uma ótima música cantada em português (vide o clássico Remorso Póstumo, do primeiro EP), a emotiva e singela Eterno Retorno. Uma das melhores bandas do estilo no país, fácil.

Resultado de imagem para Songs of Oblivion – Essência Obscura

Nota: 9,0

Link sobre a banda:

https://www.facebook.com/songsofoblivion/

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.