Por: (Arte Metal)

Os espanhóis da Wormed estão de volta, três anos após lançarem o excelente trabalho Exodromos, segundo disco da banda. Krighsu, terceiro full-lenght do grupo, é a estreia na gravadora Season of Mist e traz o primeiro registro com o baterista G-Callero (Gennotype).

Sempre transpirando modernidade, o Wormed chega ao ápice tanto de sua produção atual, quanto de sua brutalidade sonora. Mas, pra quem pensa que seguem alguma tendência, se engana, afinal a banda mantém seu Death Metal intacto e com a técnica apurada de sempre.

Fato é que tornaram sua música mais objetiva e aliaram a já mencionada técnica à simplicidade. No entanto, temos riffs de guitarras muito bem desenvolvidos que anulam os solos devido à diversidade de notas que dispensam os mesmos. A cozinha insana tem como destaque a bateria de G-Callero, afinal o cara desce o braço sem dó, além de possuir uma precisão incrível e investir numa velocidade desumana.

Claro que a produção não poderia ser diferente dos padrões atuais e soa bem moderna. Porém, Carlos Santos conseguiu dar um toque de naturalidade aos timbres dos instrumentos no Sadman Studios e evitou que a sonoridade de Krighsu soasse enjoativa demais.

As letras continuam abordando astronomia, astrofísica, ficção científica, biologia e afins, mas sem dúvidas a musicalidade da banda demonstra grande evolução em praticamente todos os aspectos. Destaque para as faixas Pseudo-Horizon, Eukaryotic Hex Swarm, 57889330816.1 e Molecular Winds.

Wormed - Krighsu

Nota: 8,5

Tracklist:

  1. Pseudo-Horizon
  2. Neomorph Mindkind
  3. Agliptian Codex Cyborgization
  4. The Singularitarianism
  5. Eukaryotic Hex Swarm
  6. Computronium Pulsar Nanarchy
  7. A-Life Omega Point
  8. 57889330816.1
  9. Zeroth-Energy Graviton
  10. Molecular Winds

Site / Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.