Jeff Hanneman - Slayer

Depois da semana passada com a trágica morte do guitarrista do Slayer, Jeff Hanneman, em 2 de maio, a causa oficial da morte foi revelada. Uma cirrose relacionada ao álcool no fígado, de acordo com um comunicado da banda. No mesmo comunicado de imprensa, o Slayer também anunciou que um memorial público será realizado para homenagear Hanneman, em data ainda a ser revelada.

Apesar de ter sido conhecido que Hanneman estava lutando contra a doença fasceíte necrotizante, que ele provavelmente contraiu a partir de uma picada de aranha de 2011, a banda revelou que as lutas do guitarrista com o vício do álcool é o que finalmente levou à sua morte.

Comunicado do Slayer: “Acabamos de saber que a causa oficial da morte de Jeff foi cirrose relacionada ao excesso de álcool. Enquanto ele teve uma luta pela sua saúde ao longo dos anos, incluindo a recente infecção fasceíte necrosante que devastou o seu bem-estar, Jeff e pessoas próximas a ele não tinham conhecimento da verdadeira extensão da sua doença hepática até os últimos dias de sua vida. Ao contrário de alguns relatos, Jeff não estava em uma lista de transplantes no momento da sua morte, ou a qualquer momento antes disso. Na verdade parecia que ele tinha vindo a melhorar – ele estava animado e ansioso para trabalhar em um novo álbum”.

Finalmente, a banda lançou declarações do guitarrista Kerry King e do vocalista e baixista Tom Araya, que na maioria das vezes tinha permanecido em silêncio sobre a morte de Hanneman.

Kerry King: “Eu tive tantos grandes momentos com Jeff … nos primeiros dias, quando estávamos na estrada, eu e ele gostávamos de ficar acordados a noite toda no ônibus, apenas pendurado para fora, conversando, vendo filmes … filmes da Segunda Guerra Muncial, filmes de terror, assistimos Full Metal Jacket tantas vezes, poderíamos praticamente recitar todo o diálogo. “

Tom Araya: “Quando formamos o Slayer, costumávamos ensaiar o tempo todo, religiosamente. Jeff e eu passamos muito tempo saindo juntos, ele viveu na garagem do meu pai, que também era o nosso espaço de ensaio. Quando chegou em seu próprio apartamento, ele tinha um gravador de 8 faixas e eu gostava de ir lá para gravar músicas que eu tinha escrito, e não músicas do Slayer, outras coisas que eu tinha escrito. Em um certo ponto, você ainda tem a banda, mas você começa a ter sua própria vida fora da banda e você não precisa gastar tanto tempo juntos. Tenho saudades daqueles primeiros dias. “

Kerry King: “Seu pai serviu na guerra, então quando o Slayer tocou na Rússia pela primeira vez – acho que foi 1998 – Jeff e eu fomos em um dos museus militares de Moscou. Eu nunca vou esquecê-lo andando naquele lugar, olhando para todos os tanques, armas e outras exposições. Ele era como uma criança na manhã de Natal. Mas isso era coisa do Jeff, ele sabia muito sobre a história da Segunda Guerra Mundial, ele poderia ter ensinado isso na escola. “

Tom Araya: “Estávamos em Nova York gravando South of Heaven. Jeff e eu estávamos no hotel e tivemos de ir ao estúdio – Assim, deixamos o hotel e decidimos caminhar, mas depois começou a chover. Andamos uns cinco blocos, e estava chovendo tão forte, que ficamos totalmente encharcados, então decidimos pegar um táxi. Aqui estamos nós, dois caras com cabelos longos e jaquetas de couro, absolutamente encharcados, indo para o estúdio. Ninguém iria parar. Tivemos que andar todo o caminho. Jeff era um líder do Slayer. Ele escreveu muitas das músicas que sempre fará a banda ser reconhecida. Ele tinha um bom coração, ele era um bom rapaz.”

Portal do Inferno

Portal do Inferno é um site especializado em notícias do rock n roll ao metal extremo, resenhas, entrevistas e cobertura de shows e eventos!

Deixe um comentário