Korpiklaani lança single e vídeo para “Niemi”; confira!

Korpiklaani
Korpiklaani lança single e vídeo para “Niemi”

Com apenas 4 semanas restantes até o lançamento de seu 11º álbum de estúdio “Jylhä“, as estrelas finlandesas do Folk Metal KORPIKLAANI estão felizes em apresentar mais uma nova música para seus fãs. “Niemi” é uma faixa rápida e cativante que é uma reminiscência do passado mais pesado da banda, e será acompanhado por um bom vídeo de apresentação à moda antiga que mostra KORPIKLAANI fazendo o que fazem de melhor.

Confira o vídeo de “Niemi”

Ouça Niemi no aplicativo de streaming de sua escolha: http://nblast.de/Korpiklaani-Jylha

Pré-venda do álbum “Jylhä” aqui: http://nblast.de/KorpiklaaniJylha

Isso é o que o vocalista Jonne tem a dizer sobre “Niemi“:

“‘Niemi’ foi uma das primeiras canções para este álbum. Tive a sensação depois de ‘Kulkija’, que um próximo álbum poderia ser o mais rápido e difícil da história do Korpiklaani. Olhei para a minha Flying V, a peguei em minhas mãos e aqui estamos nós!”

Korpiklaani - Jylhä
Korpiklaani – Jylhä

O significado de Niemi (“A Península”)

Lago Bodom 1960, “O Pentescotes Sangrento“. Quatro jovens, Irmeli Björklund, Anja Mäki, Seppo Boisman e Nils Gustafsson foram alvo de um assassino em sua viagem de acampamento.

O único sobrevivente foi Nils Gustafsson, que estava gravemente ferido. No verão um assassinato triplo á margem da península chocou toda a Finlândia. Na história, o narrador está numa das costas, próximo da península, passando uma manhã de verão, quando os arredores ganham vida e o narrador ouve o chamado “Venha para o fim da península, coisas terríveis aconteceram”.

Todos que ouviram o chamado rapidamente se dirigiram para o local do assassinato. A história até hoje sente o peso do tempo e ficou marcada como um retrato pela sua brutalidade. Os assassinatos do Lago Bodom permanecem até hoje sem solução.

O Diretor do clipe comenta: “Neste vídeo eu só queria capturar a energia insana da banda no palco. Então aqui está Korpiklaani com frio e fogo, fumaça e couro!” (Markku Kirves)