Neverwinter: Opium foi escrita sob efeito de opiáceos

  • Post author:
  • Post published:26 de novembro de 2020

Conhecido há mais de seis mil anos, o ópio é utilizado até hoje a fim de livrar o corpo da dor. E é a partir desta substância milenar que surge a inspiração para a letra de “Opium”, da Neverwinter (PR). Presente no disco de estreia, Air Castle (2019), a música ganha nova vida com a versão acústica protagonizada por Fernanda Zys (voz) e Higor Hoenig (violão, maraca, cajon, piano e baixo). A performance acolhedora foi gravada no home studio da banda, que também atuou na produção, gravação, maquiagem e mixagem.

Fernanda Zys

“A letra fala essencialmente sobre medo. É uma prova de que tudo pode ser visto de uma forma poética e que a inspiração para a música pode vir de qualquer lugar. Por causa do ballet, eu tive problema nas unhas dos pés e tive que passar por duas cirurgias. A segunda foi bem invasiva e meus dedões ficaram todos costurados, foram seis longos meses de recuperação e muita dor. Numa das pioras, senti tanta dor que meu médico teve que me receitar analgésicos à base de ópio, era a única coisa que melhorava a dor”, relembra Fernanda Zys, compositora da letra.

Embora hoje seja a música mais popular da Neverwinter, a canção “Opium” foi recebida com espanto pelo companheiro de banda, Higor Hoenig. “A cara de choque do Higor quando eu cheguei para ele e disse que estava escrevendo uma música sobre meu dedo do pé recém-operado! Foi algo como ‘que merda você está fazendo com as músicas da banda?’. Mas eu disse ‘relaxe, estou escrevendo de uma forma bem poética, vai ficar bom’. E realmente, é a nossa música mais ouvida.”, afirma a vocalista.

Enquanto a letra foi escrita sob efeito de opiáceos, por isso o nome, a melodia foi pensada para ser simples e objetiva. “A introdução é serena e etérea, tanto pela melodia quanto pelos efeitos usados na guitarra, que são chorus e reverb, e quando a distorção entra em cena é como se algo despertasse na música.O diferencial do instrumental dela está em não ter um solo de guitarra, mas sim em ter um solo de baixo bem calmo e envolvente. As bases na guitarra são bem definidas e objetivas para dar mais foco ao vocal, e poucos acidentes na escala para trazer uma certa tensão a melodia.”, analisa Higor Hoenig.

Assista a versão acústica de Opium

A faixa “Opium” é a primeira de uma série de versões acústicas que serão lançadas pela Neverwinter. As canções farão parte de um EP acústico, com previsão de lançamento para o próximo ano. A ideia do acústico, segundo Fernanda, é que a música pudesse ser cantada integralmente com acompanhamento do violão.

“A versão original tem vozes sobrepostas que foram cantadas em takes distintos, dividindo-se entre graves e agudos. Para deixar o mais natural possível, o vocal foi gravado num take só, com essa alternância de grave para agudo acontecendo naturalmente.”, acrescenta.

Criada em 2018, em Curitiba (PR), a Neverwinter foi fundada pelo multi-instrumentista e compositor Higor Hoenig. Com fortes influências do metal sinfônico, metal melódico e power metal na melodia, as letras criadas por Fernanda Zys são inspiradas na literatura do século XIX. Para as composições, a soprano busca influência do Joy Division, The Cure e HIM.

Portal do Inferno é um site especializado em notícias do rock n roll ao metal extremo, resenhas, entrevistas e cobertura de shows e eventos!

Deixe uma resposta