Por: (Arte Metal)

Ah! Como é bom quando a banda sabe equilibrar exatamente o Thrash e o Death Metal caminhando na linha tênue entre estes dois apaixonantes estilos. Ainda mais em tempos em que uma avalanche de bandas se copiam no Thrash e outras soam super-produzidas no Metal da morte.

Os chilenos do Ripper conseguem fazer exatamente isso e matam a pau neste seu segundo álbum Experiment of Existence. Referências a nomes como o Kreator de início de carreira e Death (também nos primórdios) não faltam, mas o grupo sabe bem soar característico, mesmo não reinventando nada.

Interessante que a banda investe em temas mais sérios que no geral abrangem o psíquico humano (não muito comuns no gênero) e para isso mostra uma trilha sonora violenta. Com riffs agressivos, a especialidade da banda é a velocidade, sendo que o peso é enfatizado pelo baixo vibrante e com linhas interessantes, além da bateria com viradas ultra-rápidas.

Outro ponto importante a se destacar é a produção. Sabe aquela sonoridade meio ‘xôxa’ e não tão polida como nos tempos atuais? Pois é, essa é a linha e se encaixa perfeitamente à proposta, mostrando que nem tudo está perdido na tecnologia exacerbada. O importante é que o resultado final é muito bom!

Ripper - Experiment of Existence

Nota: 8,5

Tracklist:

  1. Magnetic Solar Storms
  2. Anthropophagic Life
  3. Experiment of Existence
  4. Anatomy of the Galaxies
  5. Stellar Evolution
  6. The Alpha Orionis
  7. Rotten Dreams
  8. Chromatic Fantasy
  9. Neuronal Unity
  10. Spherical Energy

11.       Humanity Was Wrong

Link sobre a banda:

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.