Os gigantes thrashers do Scars lançaram no YouTube e Facebook oficiais da banda o vídeo para a faixa que dá nome ao mais novo trabalho do grupo, “Predatory”.

O vídeo, gravado dia 15 de março no Estúdio Scalla, em Osasco/SP, sob a direção de fotografia à cargo de Dani Matos e edição por Gabby Vessoni, mostra a banda executando a faixa de forma visceral e totalmente imersa no contexto lírico forte de “Predatory”, colocando o ser humano como um “super predador único” ou “predador alfa” sem pensar no quanto isso é devastador para o mundo em que vive. Já a sonoridade apresentará o poderio de fogo da obra onde a banda resgata suas principais influências baseadas no tradicional Thrash Metal da Bay Area (São Francisco/CA), com riffs marcantes e rasgados, vocais brutais, solos técnicos e intrínsecos somados a uma cozinha de muito peso.

Confira “Predatory”

“Estudos publicados revelam que o homem mata outros animais em taxas de até 14 vezes maior a outros carnívoros da natureza. Uma temática muito forte para dar essência ao espírito do nosso mais novo registro” comenta Régis F., vocalista fundador e principal letrista.

“Predatory”, novo álbum dos paulistanos, foi gravado, produzido e mixado no estúdio Loud Factory pelas mãos do renomado produtor Wagner Meirinho e contará com 11 faixas no total, sendo os singles digitais lançados ano passado também produzido por ele, “Armageddon” e “Silent Force”, como faixas extras. Esse tão aguardado novo trabalho será lançado mundialmente via Brutal Records/Sony Music (USA/Canadá), Proper Music (Europa)e Voice Music Gravadora (Brasil) no dia 7 de agosto desse ano e nele teremos, além do peso e qualidade característicos da banda, letras com forte temática relacionada a desenfreada matança de animais e destruição de nosso mundo em todos os sentidos, mas mesmo com toda essa ligação caótica entre as faixas não se tratará de um álbum conceitual.

Scars_Predatory

O tracklist de “Predatory” é

Predatory
These Bloody Days
Ancient Power
Sad Darkness Of The Soul
The Unsung Requiem (Instrumental)
Ghostly Shadows
The 72 Faces Of God
Beyond The Valley Of Despair
Violent Show
Armageddon (Bônus)
Silent Force (Bônus)

Pre-order (Proper Music/Europa) de “Predatory” em CD Digipack em:
https://bit.ly/2X8nqrS

Em breve mais links de pre-order: EUA/Canadá e Brasil

Todo o processo de criação da capa de “Predatory” foi baseado nas letras das músicas pelo ilustrador e designer gráfico também paulistano Luis Dourado que, de forma magistral em seu primeiro trabalho como ilustrador musical, soube sintetizar todas as ideias por trás das letras de Régis criando uma pintura complexa e um ambiente aterrorizante de um completo caos apocalíptico e catastrófico do que poderia ser um mundo devastado pelo homem sem piedade.

“Não conhecíamos o Luis, mas foi através de nossa assessoria JZ Press que tivemos contato com seus portfólios e vendo todos seus trabalhos notamos um enorme potencial no seu traçado. Hoje, após todo processo finalizado, estamos super contentes e satisfeitíssimos com o resultado, pois ele simplesmente matou a pau!” comenta Alex Zeraib.

A formação que gravou “Predatory” conta com Régis F. (vocais), Alex Zeraib (guitarras), Thiago Oliveira (guitarra solo, Warrel Dane/Confessori), Marcelo Mitché (baixo) e João Gobo (bateria).

“Killing Animals, Burning Forests, Flaming Rivers – The Tears of Gaia.”

Discografia:

“Ultimate Encore” (Split/1994)
“The Nether Hell” (EP/2005)
“Devilgod Alliance” (Álbum/2008)
“Armageddon” (Single Digital/2019)
“Silent Force” (Single Digital/2019)
“Armageddon On Tour” (Compilação Digital/2019)
“The V8 Sessions: Vol.1” (Live) (Digital/2019)
“Predatory” (Álbum/2020)

Ouça Scars

Spotify: https://open.spotify.com/artist/4FCGqzVWLxkupz86e6bhgJ
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCVxq9GLRKzsP5CnZ8GcEisw
Soundcloud: https://soundcloud.com/scars-962703119
Bandcamp: https://scars4.bandcamp.com

Mídias Sociais

Instagram: https://www.instagram.com/scars.thrash
Facebook: https://www.facebook.com/scars.thrash

Gustavo Pavan

Headbanger, técnico em informatica, programador e produtor de shows underground.

Deixe um comentário