Por: (Arte Metal)

The Golden Soul, novo álbum do multi-instrumentista Bruno Mansini completa a trilogia inicial da carreira do músico que já lançou os álbuns Dreams from the Earth (2013) e Secret Signs of Green (2015). O disco prova definitivamente o talento desse grande artista, que traz influências do Prog Rock, Hard Rock e Metal, além de inserir música brasileira e oriental em seus arranjos.

O primeiro ponto a se ressaltar é como Mansini é talentoso em todos os instrumentos e inclusive como cantor. Com guitarras versáteis, tanto nas bases quanto nos solos, um baixo com linhas que se desprendem do comum e bateria variada, além de bem explorada aliada a ritmos de percussão, a sonoridade do álbum ainda é enriquecida com teclados e sintetizadores que só o enriquecem ainda mais.

Com temas que abordam a análise do ser com certo positivismo e pregando a harmonia entre as pessoas, Mansini ainda se mostra um vocalista de primeiro escalão com um timbre naturalmente abençoado. Porém, o também cantor sabe muito bem encaixar suas linhas e isso só enfatiza a qualidade do trabalho.

Mais um dos pontos positivos é o fato de as composições serem objetivas, afinal, ao analisar tanta riqueza envolvendo um disco, podemos supor que o mesmo se perca em algum momento. Mas, aqui não acontece isso, pois o trabalho é empolgante e possui uma energia ímpar.

A faixa título, Wonders of The World e a Meeting of Gods talvez sejam as canções de maior destaque. Sim, ‘talvez’, afinal The Golden Soul vai ficando mais interessante a cada ouvida e enquanto o leitor lê essa resenha, algum outro destaque tenha surgido. Tudo isso com uma produção de alto nível (também a cargo do músico) que faz do disco um excelente trabalho, no mínimo.

Resultado de imagem para Bruno Mansini – “The Golden Soul”

Nota: 9,0

Link sobre a banda: 

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.