Por: (Arte Metal)

Pode parecer exagero, mas “The Unholy One” é um álbum tão importante pra cena mineira quanto um “I.N.R.I.” (1987) do SARCÓFAGO ou “Sexual Carnage” (1990) do SEXTRASH. O diferencial é que o disco foi lançado um pouco depois destes trabalhos e pegou a cena mineira já depois de explodir.

As referências acima foram citadas principalmente pelo fato de o EXPULSER trilhar os mesmos caminhos sonoros, pois encontramos neste debut aquele Death Metal típico das Minas Gerais, incluindo as temáticas blasfemas, sexuais e alcoólicas que eram comuns entre os grupos.

O diferencial do EXPULSER era o flerte com o Thrash Metal em seu instrumental mais dinâmico e direto, porém a banda ainda priorizava o Metal da morte como só as bandas brasileiras conseguem fazer até hoje. Riffs velozes cortantes, cozinha bate estaca e vocais urrados dão à tônica à uma sonoridade obscura e profana, porém enérgica e raivosa.

Não há muita variação rítmica, mas sim viradas insanas e a doses homeopáticas de melodia, que passam praticamente despercebidas devido à intensidade encontrada no trabalho. É aqui que faixas como Praise to the Almighty God, The Unholy One, Screams of Delights e Gore Pussy of Virgin (The Rape) se tornaram clássicos imortais do Metal nacional.

“The Unholy One” será relançado pelo selo norte-americano Greyhaze Records trazendo as três faixas do Split “Fornincations” (1990) como bônus. O trabalho sairá nos formatos de CD, cassete e LP de 12” em abril, com a capa refeita e remasterizado. Mais que merecido esse relançamento.

Nota: 9,5

Tracklist:

  1. Praise to the Almighty God
  2. Cirrhosis (Let’s Get Drunk)
  3. Bleeding at Cross
  4. Fornications (At the Church)
  5. The Unholy One
  6. Screams of Delights
  7. Christ’s Saga
  8. The Evil Orgasm
  9. Gore Pussy of Virgin (The Rape)
  10. The Slut
  11. Vomiting in Paradise
  12. The Offensor
  13. No Ressurection

Link sobre a banda: 

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.