Por: (Arte Metal)

Os jovens prolíficos finlandeses do Lost Society chegam ao seu terceiro álbum e quem venerou os discos anteriores terá surpresa ao ouvir Braindead. Afinal, o grupo de Jyväskylä ousou, deu uns passos à frente e, mesmo mantendo sua essência, adotou elementos atuais.

Não, a questão não é se vender ou seguir tendências. O fato é que o Thrash Metal do grupo soa um pouco pasteurizado, ganhou doses homeopáticas de melodia, além de revelar uma faceta alternativa exclusiva apenas em algumas composições das nove aqui presentes.

Os fatos já se fazem presentes na primeira faixa I Am the Antidote. Cadenciada e burocrática, a música traz um refrão bem acessível, além de guitarras bem redondinhas (quadradas para alguns) e limpas para os padrões do Thrash. Tal fato se repete (não necessariamente com identicidade) em faixas como Riot e Only (My) Death Is Certain, esta última muito bem trabalhada e uma das mais versáteis da banda.

As pedradas ficam por conta de Mad Torture e Rage Me Up, faixas velozes que mais se assemelham às antigas, mas que ainda contam com o amadurecimento natural da banda. Tais mudanças (ou evolução, como queiram) não significam algo de ruim, pelo contrário, temos riffs de qualidade, solos bem encaixados e composições acima da média.

Fato é que o Lost Society resolveu sair da mesmice e quem esperava algo na linha dos trabalhos anteriores pode se decepcionar. Vale lembrar que ainda há um cover para P.S.T. 88 do Pantera, além de uma outra versão para Terror Hungry e uma faixa escondida ao vivo.

Lost Society - Braindead

Nota: 8,0

Tracklist:

  1. I Am the Antidote
  2. Riot
  3. Mad Torture
  4. Hollow Eyes
  5. Rage Me Up
  6. Hangover Activator
  7. Only (My) Death Is Certain
  8. P.S.T. 88 (Pantera cover)
  9. Terror Hungry (Californian Easy Listening Version)

Links sobre a banda:

Site

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.