Por: (Arte Metal)

“Acertar a mão” com o Rock clássico é uma tarefa, muitas vezes, difícil. O instrumental está ok, mas falta sempre algo. Cantado em português, o desafio é ainda maior, pois a métrica dos versos tem de estar “em cima”. Difícil é, mas não o encontramos no trabalho do OVERHEAD. Eles se saíram muito bem apostando na estética do “Classic Rock”!

O OVERHEAD se formou em Bauru (interior de São Paulo) em 2010 e desde então vem produzindo composições, que agradam não somente os fãs de Rock clássico, mas de todos os apreciadores de boa música.  Guitarras certeiras, cozinha (baixo e bateria) e vocais “no ponto” transpiram emoção e criatividade nas dez canções de “Na Madrugada de Bar em Bar”.

Outra característica importante (e essencial!) da banda é a de se manter na ativa, fazendo vários shows, os quais fazem aumentar o número de fãs e admiradores.  Já tocaram com BARANGA, PATRULHA DO ESPAÇO, KORZUS, MATANZA e PHILM (DAVE LOMBARDO). Apresentaram-se na Argentina e fora das terras paulistanas.

Não há destaques individuais para as dez canções do trabalho, pois se harmonizam entre si, criando e, portanto, coerência no desenvolvimento das harmonias e melodias. Vale a pena mencionar que o uso do português nas letras, além de aproximar a banda e público – principalmente ao vivo – traz mensagens interessantes e inteligentes.

Boa pedida para os que procuram por Rock Clássico na língua materna! Faixas: BR da Morte, Cartaz da Morte, Na Madrugada de Bar em Bar, O Diabo na Garrafa, Eles, Entre Espelhos, Exclusa, Na Contra Mão, Outra Frequência, Se Tá Ruim Pra Você. Formação: Ivo Ferreira: Baixo, Brendel Alba: Bateria, Bruno Bevenutti: Guitarra e André Moreno: Guitarra e voz.

Nota: 9,0

Link sobre a banda: 

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.