E a Cadela não para de latir. Lançando seu novo trabalho, The Universe In A Belly Button, os caras continuam com todo o ódio possível em suas letras que retratam o cotidiano no mundo. Não tem como ouvir esse álbum e não reparar a nítida influência que o D.R.I. exerce sobre o Cadela Maldita.

Obviamente, a banda possui as suas particularidades, como o vocal hardcore de Raul e a guitarra marcante de Ricardo. Do segundo álbum First Lessson: Hate para este lançamento dá para notar que o grupo deu uma desacelerada, estão um pouco mais thrash, mais técnico do que raivoso, mas com a pegada hardcore bem presente e dosada em seus devidos lugares, afinal, essa é uma das principais características da banda.

Em The Universe In A Belly Button, a Cadela Maldita se relançou com uma vontade maior de dar bicuda na canela, ou melhor, de ver mosh pits abertos por onde passar. Coloque o play para rolar e você já pode imaginar a poeira subir. O quarteto soube trabalhar o álbum dosando muito bem as músicas e colocando cada peça em seu lugar.

Maldita Cadela, Cadela Maldita, cadela raivosa, furiosa, que vem novamente com sua atitude lançar mais um álbum totalmente independente, digno de arrancar elogios, da introdução à última música.

The Universe In A Belly Button

The Universe In A Belly Button – Independente – 2013

Nota: 9,5

Tracklist:

01. Kicking the owl
02. Shooting children in the head
03. Nature´s revenge
04. Non conformist
05. Violent desire to ruin everything
06. Busted Again
07. Work like a dog, get paid like a dumb
08. Life and death in the same room
09. The universe in a belly Button
10. Rock is my life
11. Violent World
12. I´ll kill myself with the guitar Cord

Formação:

Raul – guitarra/vocal
Felipe – bateria
André – baixo
Ricardo – guitarra

** O texto representa a opinião do autor e não a opinião do Portal do Inferno Webzine ou de seus editores

Portal do Inferno

Portal do Inferno é um site especializado em notícias do rock n roll ao metal extremo, resenhas, entrevistas e cobertura de shows e eventos!

Deixe um comentário