Por: (Arte Metal)

Em 2015 a banda mineira Apple Sin aparaceu de forma discreta e sem causar muito alarde com o EP Fire Star. Porém, o resultado do trabalho era mais do que público e mídia esperavam e superou as expectativas do grupo, o que gerou ainda mais ansiedade por um full-lenght.

E a qualidade que já era apresentada no EP se faz presente no primeiro disco auto-intitulado, obviamente que mostrando uma banda mais experiente, com mais entrosamento e ainda mais qualidade em seu trabalho.

O Metal tradicional dá as caras em alto e bom som, sendo que as principais influências giram em torno do Iron Maiden e Judas Priest. Claro, a banda possui sua identidade (todas possuem) e conseguem impor suas características, que estão principalmente na variação e mudanças de ritmos.

O equilíbrio é um dos pontos fortes do disco, e tal elemento passa desde a ótima produção sonora, até pelo peso e melodia nas doses certas e a objetividade da banda nas composições. O disco ainda conta com uma ótima e representativa arte gráfica, que combina perfeitamente com a banda e sua proposta.

O hit Apple Sin, assim como outras duas faixas do EP de estreia se fazem presente em um set list onde os destaques ficam por conta de faixas como Sea of Sorrow, Another Day e a bônus Roadie Metal que já havia sido divulgada anteriormente. Um trabalho prazeroso de ouvir.

Apple Sin

Nota: 8,5

Tracklist

  1. Intro
  2. Sea of Sorrow
  3. Darknes of World
  4. Apple Sin
  5. Another Day
  6. Respect
  7. Fire Star
  8. Black Hole
  9. Roaches Blood
  10. Roadie Metal

Link sobre a banda:

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.