Por: (Arte Metal)

O Burnkill é uma banda nova formada em 2014 em Pouso Alegre/MG. Os músicos são jovens, mas possuem talento de fato e conseguem trazer em suas composições uma sonoridade abrangente que consegue transitar entre o Heavy Metal tradicional, o Thrash (principalmente) e o Death Metal.

O principal fator é que o quinteto não se perde e cria um som característico, mantendo equilíbrio e certa identidade, mesmo diante de alguns clichês – o que não é de mal nenhum, diga-se de passagem. Tudo bem dosado e com uma pegada Rock and Roll bem natural (outro fator bem característico).

As letras cantadas em português foram uma boa pedida, até porque o vocalista Antony consegue encaixar bem suas linhas e soar inteligível. Sua voz versátil é agressiva e consegue impor um bom semi-gutural. As temáticas abordam o caos social de uma forma bem inteligente e às vezes mais direta.

A produção do trabalho, realizada no Rota 976 Studio, é de qualidade mas pode soar ainda melhor num próximo disco. Apesar do ótimo timbre das guitarras (aliás que fábrica de riffs Lucas Maia e Pablo Henrique!), faltou um pouquinho mais de equilíbrio e menos reverb. Porém, são detalhes mínimos perto da qualidade do disco.

Há um ótimo equilíbrio entre as composições, mas Corredor da Morte, a faixa título e Cadáver do Brasil sem dúvidas chamam a atenção. Guerra e Destruição com certeza é uma estreia acima da média e mostra que os mineiros do Burnkill estão no caminho certo. Vale à pena conferir!

Burnkill - Guerra e Destruição

Nota: 7,5

Tracklist:

  1. Corredor da Morte
  2. Vivendo uma Ilusão
  3. Guerra e Destruição
  4. Repressão
  5. Cadáver do Brasil
  6. Tempestade de Horror
  7. Chega de Mentiras
  8. Sinfonia da Guerra

Links sobre a banda:

Site / Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.