Por: (Arte Metal)

São 20 anos de carreira e serviços prestados ao Black Metal nacional. Desde o primeiro e único trabalho completo até então, Revenge Circle (2003), foram-se dose anos em silêncio, sendo que de 2009 a 2014 a banda ficou inativa. Triste, pois há talento de sobra, mas pelo lado positivo a banda voltou tinindo.

Si Vis Pacem, Para Bellum é um single de luxo, assim diríamos. Afinal, além da qualidade do conteúdo encontrado, temos duas faixas e um vídeo de uma delas inclusos. E o Black Metal aqui executado é de arrancar suspiros. Intenso, variado e épico, o som aqui proposto causa diversas emoções ao ouvinte.

Com uma boa produção – a cargo de Ivan The Darkest no O Beco Estúdio – o disco foge do comum no estilo e se alia a elementos do Death Metal e até do Metal tradicional. Mas, como o foco é o Metal negro, impressiona a facilidade que o Empire of Souls tem em caminhar entre todas as facetas do estilo.

Isso fica logo evidente em To Become Maker que abre o trabalho de forma intensa, com melodias na medida certa e uma quebrada de arrepiar até o mais cético. Lycanthropic Duality traz a mesma intensidade não deixando a energia baixar e soa de forma mais agressiva. Destaque para a versatilidade do vocal de Mário César que passa pelo gutural, rasgado, grunhido e passagens limpas dando um grande diferencial.

O fato de o som ser mais carregado do que é comum no estilo enfatiza o peso e diferencia a música do quinteto. Ainda tem um clipe para a faixa To Become Maker muito bem feito e que traz imagens de palco, mostrando um pouco mais da banda ao vivo. Sem hesitar, que venha um trabalho completo!

11887739_673756869390420_4790866516048063284_o

Nota: 9,0

Tracklist:

01. To Become Maker
02. Lycanthropic Duality

Links sobre a banda:

Facebook / Myspace

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.