Heavenwood – Abyss Masterpiece

  • Post author:

Quando esse trabalho chegou até a mim, veio acompanhado das seguintes palavras: “ouve essa banda, é bem legal”. Confesso não conhecia. E “bem legal” passou a ser um adjetivo infinitamente pequeno para classificar este álbum. Uma pena real esta banda ser tão pouco conhecida em nossas terras, pois seu trabalho é excelente! Este álbum despertou em mim, acredito, a vontade que toda banda deseja ao compor um novo trabalho: que este crie o interesse pelo restante de sua discografia. E, após ouvir os até então quatro álbuns lançados, posso dizer que Abbys Masterpiece traz uma evolução nítida e marcante, não só nas composições como também na produção e gravação.

O álbum traz composições recheadas de elementos, como teclados muito bem colocados, passagens épicas e clássicas, vocais guturais, limpos, masculinos e femininos. E, o mais fantástico, tudo extremamente bem colocado, sem soar exagerado ou deslocado em momento algum! Mas vamos contar como esse álbum acontece, procurando não exagerar nos elogios.

O trabalho começa com uma música que definitivamente não expressa o que virá na sequência. The Arcadia Order começa com uma introdução épica/clássica, e uma velocidade mais acelerada, fazendo até algum ouvinte mais desavisado pensar que aí estaria vindo um filhote mais lento e agradável de Rhapsody. Felizmente essa impressão acaba rapidamente, logo a 1m30s, quando a banda começa a deixar bem nítido a veia pesada e mais agressiva de suas composições, mesmo abrindo mão da velocidade para isso. Morning Glory Cloud inicia uma diminuição nítida na velocidade das composições. Cada música a seguir vem de uma forma mais cadenciada, deixando clara as influências de Doom Metal que a banda despeja nas composições. Para quem conhece a fase atual de bandas como Amorphis e Ghost Brigade entenderá exatamente o que quero expressar. Começando com um leve coral, e tendo um riff central e refrão pegajosos, o álbum começa a se firmar. Goddess Presiding Over Solitude “segura a peteca no alto”, e pede uma atenção melhor a partir de 2m42s. Grande passagem! Once a Burden leva os andamentos um pouco mais para baixo e inaugura os vocais limpos do álbum. Uma grande música! Na sequência, uma das melhores composições ouvidas nos últimos tempos: Winter Slave. Essa música me fez ter uma reação quase nula durante audições de novos álbuns: repetir uma faixa antes do fim do trabalho. Essa música carrega um clima incrível, com uma variação de temas que a faz ter uma personalidade própria dentro do trabalho. Uma música fantástica, destaque absoluto dentro desse álbum. E após isso tudo, quando seria difícil não pensar numa (leve, que seja) queda no rendimento do play, o álbum segue com Leonor, onde temos a inclusão dos vocais femininos, fazendo um contra ponto perfeito entre os guturais, em ótimas melodias vocais. Seguindo, a belíssima Poem for Matilde. Essa também, um grande destaque no trabalho, bela melodia, bela letra, grande composição. Fading Sun retoma a pegada e a agressividade, com mais um refrão que fica ecoando na cabeça após a audição. September Blood apresenta uma pegada mais melódica, e até chega a soar como várias coisas que ouvimos por aí. Sudden Scars mantém a pegada, onde o teclado manda absoluto na composição. Like Yesterday remete novamente ao clima Doom (talvez a que deixe as influências mais nítidas), joga o andamento lá embaixo, traz os vocais limpos de volta e cria um clima perfeito para a derradeira faixa, Her Lament. Com um instrumental clássico simplesmente arrebatador, essa música cria um clima lindo e perfeito para encerrar esse trabalho primoroso.

Após a audição desse álbum não me restou outra alternativa a não ser ouvi-lo novamente, e já me declarar fã. Uma obra prima, sem exageros. Composições certeiras, que não soam em nada iguais entre si, e mesmo assim carregam uma identidade coletiva. Vários artifícios sendo usados, sem se saturarem. Criações esmeradamente produzidas. Mais do que necessário, este álbum é obrigatório!

Heavenwood - Abyss Masterpiece

Abyss Masterpiece – Listenable Records – 2011

Nota: 10

Tracklist:

01. The Arcadia order
02. Morning Glory Cloud
03. Goddess Presiding Over Solitude
04. Once a Burden
05. Winter Slave
06. Leonor
07. Poem for matilde
08. Fading Sun
09. September Blood
10. Sudden Scars
11. Like Yesterday
12. Her Lament

Integrantes:

Ernesto Guerra – Vocais
Ricardo Dias – Vocais / Guitarra-Solo
Bruno Silva – Guitarra

** O texto representa a opinião do autor e não a opinião do Portal do Inferno Webzine ou de seus editores

Redação

Portal do Inferno é um site especializado em notícias do rock n roll ao metal extremo, resenhas, entrevistas e cobertura de shows e eventos!

Deixe um comentário