Por: (Arte Metal)

De Indianapolis (EUA) vem o Into The Divine. Banda que aposta no Death Metal como seu principal estilo, mas que não o deixa soar comum e muito menos fecha o leque às suas abrangências. Este é o primeiro trabalho do grupo que se formou em 2010 e conta com Ethan Carpenter (vocal), Cole Chavez (guitarra/clean vocal), Wesley Holland (baixo/vocal), Michael McGinley (guitarra) e Jay Burch (bateria).

Adotando interessantes linhas melódicas, a banda aposta em variações rítmicas e composições intrincadas. Ao mesmo tempo em que soa brutal, o grupo adota elementos progressivos, adicionando quebradas e passagens diferenciadas em suas composições.

Com guitarras complexas, o Into The Divine aposta em solos melódicos que também servem de base, adotando até guitarras gêmeas em boa parte das composições. Outro fator importante são as linhas vocais que são divididas entre Carpenter, Chavez e Holland e vão desde o gutural mais cavernoso, passando pelo rasgado e o limpo, o que dá uma versatilidade muito boa à música do grupo.

A cozinha segue a qualidade dos outros, dando um peso absurdo às músicas com linhas intensas de baixo e uma bateria bem diversificada. A produção poderia estar um pouco mais límpida devido à complexidade do instrumental, mas é de qualidade. Destaque para as faixas Phantasmagoria, Demons I Device e a faixa título.

a2579083605_16

Nota: 8,0

Tracklist:

  1. Phantasmagoria
  2. A Threnody for the Abnegated
  3. Demons I Deceive
  4. Divine Slave
  5. Verities of Immortality
  6. Harbinger of Entropy

Links sobre a banda:

Facebook / Bandcamp

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.