Strip no Altar – The Hell Soundtrack

  • Post author:
  • Post published:29 de dezembro de 2011

Você lê esse nome, e logo imagina uma banda que provavelmente cante em português, e deva até ter umas letrinhas engraçadinhas. Você pega o CD, vê na capa, uma arte bem simples (ruim, para dizer a verdade), com uma foto de duas meninas simulando uma “pegação”, e reforça a idéia. Aí, você percebe que as músicas foram todas batizadas em inglês. Sua idéia começa a se desmontar. Abre o encarte (pobre ao extremo também) e encontra uma foto tosca dos três rapazes da banda simulando um carteado, sendo feito em cima de um bumbo virado. Aí, você começa a temer pelo o que virá ao colocar o play para rodar…

E o que se encontra nas músicas compostas por Plínio Scambora (guitarra/voz), Kadu Victor (baixo) e Hud Souza (bateria) nada mais é do que um Hardcore, cru e direto, sem frescura alguma, assim como foi a apresentação visual do trabalho. Logo, na primeira faixa, Piece of Doom, pode-se perceber uma certa necessidade de lapidação nas composições, pois algumas passagens soam estranhas. O vocal desafina, mas segura. E então você começa a se interessar pelo resto do álbum, pois começa a rolar um embate dentro de você, entre todas as pré concepções desenvolvidas a cerca do citado. O mesmo segue com I Will GO to Hell, uma música de menos de um minuto e meio, onde tudo soa desencontrado, e você se pergunta se essa faixa precisava mesmo estar ali. A seguinte, When You are Gone, tem pouco mais de dois minutos, mas a música termina aos 1:45, o que nos faz perceber que existe um deixar de guitarras soando ao final das faixas para assim aumentar seu tamanho. Algo nítido e estranho a se salientar. Na faixa The Best for you Again as coisas parecem melhorar. A música engrena, tem um tamanho mais aceitável, apesar do bumbo da bateria ainda soar deslocado e o vocal desafinado. The Hell Song, ao contrário do que o nome indica, é praticamente uma balada, mas mantém o clima “up” que o álbum adquiriu na faixa anterior. S.A.V.A.G.E. seja talvez a melhor música, com uma pegada muito legal, embora tenha apenas 1:40. What I Have to Say mantém o clima, deixando mais nítido que qualquer incursão que Hud tente fazer fora da condução básica soa como se algo errado acontecesse. Shoots and Revenge traz uma produção um pouquinho mais cuidadosa, tendo até uma intro. E Strip in the Altar encerra essa audição sem maiores alardes.

O que fica do álbum é: se você é fã de um hardcore sincero, cru e direto, executado por um power trio, esse álbum é para você. Se você exige um pouco mais de qualidade nas composições, fuja. Esse é um play para rolar de fundo naquela festinha que você dará aos amigos adolescentes, na sua casa, quando seus pais não estiverem. A produção foi bem feita, porém não conseguiu esconder os pontos (visivelmente) deficientes, assim como deixou praticamente um minuto de silêncio através do play, nos finais das faixas. Um trabalho honesto de ambas as partes, mas que aponta claramente todos os aspectos que ambos precisam melhorar.

Strip no Altar - The Hell Soundtrack

The Hell Soundtrack – Independente – 2011

Nota: 7,5

Tracklist:

01. Piece of Doom
02. I Will go to hell
03. When you are Gone
04. The Best for you Again
05. The Hell Song
06. S.AV.A.G.E.
07. What I Have to Say
08. Shoots and Revenge
09. Boomerang
10. Strip in the Altar

Integrantes:

Plínio Scambora – guitarra/voz 
Kadu Victor – baixo
Hud Souza – bateria

** O texto representa a opinião do autor e não a opinião do Portal do Inferno Webzine ou de seus editores.

Portal do Inferno é um site especializado em notícias do rock n roll ao metal extremo, resenhas, entrevistas e cobertura de shows e eventos!

Deixe um comentário