Por: (Arte Metal)

Vamos imaginar que, se no começo de sua carreira o Metallica resolvesse investir mais em suas influências clássicas da NWOBHM adicionando mais elementos do gênero em seu estilo. Talvez o resultado seria este que se ouve em The Death, primeiro disco da banda paulista The Goths.

Mas, antes que o ouvinte ou até mesmo a própria banda tirem conclusões precipitadas, isso não quer dizer que a banda é uma cópia. Até porque apenas os vocais de Felipe Disselli (também guitarrista) e alguns riffs se assemelham a James Hetfield e sua trupe, sendo que a banda possui uma melodia e modernidade diferenciadas.

Aliás, a produção a cargo de Renato Napty no Soul Studio é primorosa e traz a banda direto aos tempos atuais, sem soar plastificada demais. Voltando ao conteúdo musical, temos um grupo coeso, com trabalho de guitarras excelente (ótimos solos e nada exagerados), além de uma cozinha com pegada e linhas sólidas.

Outro grande trunfo é a levada interessante das músicas que não soam nem velozes e nem cadenciadas demais, o que dá um destaque tremendo aos riffs e coloca o trabalho em outro patamar. Com uma média de quatro minutos por música, o The Goths se mostra objetivo também.

São oito composições em cerca de 35 minutos, sendo que se destacam The Death, Killing Your Fate, a belíssima ‘power ballad’ Waiting For Changes e Strange Way Of Living, sendo essa última a mais versátil do trabalho. Bela largada da banda de Campinas, agora é colher os frutos.

the-goths-capa

Nota: 8,5

Tracklist:

01. The Death
02. Killing Your Fate
03. Kingdom of Sorrow
04. Waiting for Changes
05. Me… My Own Enemy
06. Strange Way of Living
07. Nightmares in Your Head
08. Too Late

Links sobre a banda:

Site / Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.