Destruction – Moinho Eventos – Curitiba/PR

  • Post author:
  • Post published:26 de agosto de 2011

Uma pena que o número de presentes não foi como deveria ser. Entretanto, podemos verificar como os fiéis fãs comemoraram ao receber novamente a banda de thrash metal Destruction. A turnê de título Day of Reckoning deixou o público da América do sul ansioso, ainda mais logo após o adiamento (no Brasil, de abril para agosto).

A apresentação dos alemães se realizou no espaço do Moinho Eventos, onde uma considerável quantidade de pessoas aguardava a abertura dos portões, que se deu aproximadamente às 21 horas. Entretanto, o início do espetáculo aconteceu uma hora depois, a cargo da banda Sacredeath.

Durante uma apresentação de 45 minutos, a Sacredeath tentou realizar uma introdução às expectativas de todos. Toda via a presença de palco não demonstrou muita confiança e, convenhamos, a exigência dos curitibanos com relação às músicas próprias é grande. O público realmente se aglomerou perto do palco logo após o término da apresentação da banda, e com a entrada dos roadies da banda maior.

Uma breve introdução (a do Eternal Devastation) e finalmente, os alemães adentram para emoção de todos (digo isso, pois vi muito “machão” chorando como um bebê nesta hora). Inicialmente com Marcel “Schmier” Schirmer (baixo e vocal), e logo após por Mike Sifringer (guitarra) e pelo polonês Wawrzyniec Dramowicz, o recém-chegado baterista. Iniciando com Curse The Gods e Mad Butcher, os headbangers já começaram a quebrar tudo ao redor, agitados com os clássicos da banda.

Para os que compreendem ou arriscam o Inglês, acompanhar as palavras de Schmier durante todo o show foi muito gratificante. Ele questiona há quanto tempo o Destruction não se apresenta em Curitiba, e agradece a todos pela presença. Seguindo com Armaggedonizer e Hate is my Fuel, ambas do novo disco. Após breve pausa, Mike Sifringer desperta ainda mais o público com Eternal Ban (praticamente um hino), seguida por Life without Sense, uma música meio longa. Schimier aproveita pra agradecer novamente a cidade, e dá uma deixa sobre a próxima música a ser o vocalista faz um adendo que deixa clara a sequência do setlist. Vibrantes com “fucking politicians of the world” e D.E.V.O.L.U.T.I.O.N., o público agita mais ainda com as brincadeiras (mas sem brigas, claro.)

Neste momento, pausa da banda. Somente os três microfones e demais instrumentos ficam em cena. Obviamente que o público se desespera, – seria isso um encore? – mas inicia a introdução de Thrash Till Death, as luzes retornam e todos já recuperam o fôlego. Na sequência, mais uma saída do Destruction. Dessa vez, mais demorada – e os fãs começam a gritar pela volta da banda. Ao término, Schmier abre uma cerveja, dá um grande gole e ainda oferta ao público (diga-se de passagem, quem esteve perto da grade recebeu um belo banho…) – “Saúde, Curitiba! Quem já esteve  no Wacken Open Air? Gostaria de ver todos vocês lá numa próxima oportunidade!“. E então Nailed to the Cross e Metal Discharge procedem com o ritual dos veteranos do thrash. Então seguimos com um breve e condensado solo de bateria de Vaaver, que chateou alguns presentes, pois sabemos da potencialidade do músico. (era a sede de querer mais, sabemos disso). Tears of Blood e Death Trap, prosseguindo com o show, além de Bestial Invasion, é de não deixar ninguém parado. Não preciso salientar a quantidade de “moshes” e dores no pescoço.

E então mais uma pausa, todos estavam cientes do término do espetáculo. O setlist ficou rechado de novidades, e também clássicos da banda. Nunca estaríamos satisfeitos, e começamos a pedir por mais! A banda então retorna com Total Desaster. “O que acham do Destruction trazer na próxima oportunidade Sodom e Kreator?” – diz o carismático Schmier. Finalizando com as quebradeiras Whiplash, “I know what you want, and you’re gonna get it” e The Butcher Strikes Back, todos podem afirmar que o show ficará implantado nas lembranças de todos, com a sensação de que foi imbatível e ainda melhor que a apresentação em 2006.

Fica clara a competência do novo baterista, além da qualidade do novo trabalho desempenhado pela banda. Alguns ainda referem que o gás de Schmier  tem diminuído desde a última apresentação, mas isso não foi motivo pra alguém sair desapontado. E bom dia a todos que, no dia seguinte, acordaram com um baita torcicolo! Aposto que a dor foi recompensada…

Setlist: Sacredeath

Angel Of Death
Silent Places
After War
Symphony Of Destruction (Megadeth)
The Punishment of Gods
Bestial Night
In The Earth Becomes Dark
Bearer The Plague

Setlist: Destruction

Curse The Gods
Mad Butcher
Armaggedonizer
Hate Is My Fuel
Eternal Ban
Life Without Sense
Devolution
Days of Confusion
Thrash Till Death
Nailed to the Cross
Metal Discharge
Drum Solo
Tormentor
Death Trap
Tears of Blood

Bis

Total Desaster
The Butcher Strikes Back
Bestial Invasion

Clique aqui para ver todas as fotos deste show!

Redação

Portal do Inferno é um site especializado em notícias do rock n roll ao metal extremo, resenhas, entrevistas e cobertura de shows e eventos!

Deixe uma resposta