Transatlantic – Carioca Club – São Paulo/SP

  • Post author:

O Transatlantic, grupo formado por Mike Portnoy (bateria), Neil Morse (vocais/teclados), Pete Trewavas (baixo) e Roine Stolt (guitarras) se apresentou pela primeira vez no Brasil em São Paulo. Curiosamente, essa foi a sétima vez em que Portnoy esteve no País nos últimos quatro anos e, em cada vinda, se apresentando com algum grupo diferente. Fato esse que foi lembrado pelo baterista que brincou sobre isso e lembrou a todos que era a primeira vez que Neil Morse vinha ao Brasil, fazendo com que o músico fosse ovacionado.

Transatlantic
Foto: Henrique Pimentel

Foi nesse clima de animação e empolgação que os brasileiros receberam o grupo, lotando o Carioca Club em um dia de semana, mesmo com o clima inquieto da cidade resolvendo pregar suas peças com um breve temporal pouco antes do show. Felizmente, o pequeno atraso no início do show permitiu a chegada de praticamente todos. Inicialmente, Daniel Gildenlow (Pain of Salvation) acompanharia o grupo nessa turnê, mas foi impedido por problemas de saúde. No seu lugar, veio Ted Leonard, do Spock’s Beard. Ted não deixou nada a dever a Daniel e cumpriu muito bem seu papel,  sendo muito aplaudido nas vezes em que foi à frente cantar alguma parte ou acompanhar Roine Stolt nas guitarras.

Abrindo o show com Into The Blue, faixa que também inicia o último disco da banda, Kaleidoscope, o Transatlantic mostrou logo de cara a que veio. Durante os mais de 25 minutos da canção, os músicos demonstraram seus talentos, sem exageros, não decepcionando os fãs. Por diversas vezes durante o show, o público agiu como um sexto integrante cantando melodias de guitarras sozinho ou sendo regidos por Neil Morse, assim como acompanhando diversos trechos com palmas.

Transatlantic_5821
Foto: Henrique Pimentel

Após a sequência com My New World e Shine, o grupo apresentou apenas algumas partes da canção The Whirlwind, mas o suficiente para manter a empolgação dos presentes que se impressionavam com o talento dos músicos reunidos no palco. Em We All Need Some Light o público fez o seu show cantando em coro a música, o que reforçou a alegria que Neil Morse exibia durante toda a noite.

Para fechar a apresentação, outro grande momento foi a execução de Kaleidoscope, na qual Neil brincou perguntando se o público aguentava mais e se eles, os músicos, também aguentariam. Afinal, os mais de 30 minutos dessa faixas somados ao repertório da noite, que foi encerrado com um medley de All of The Above e Stranger In The Soul, fez com que o show do Transatlantic terminasse após mais de duas horas , as quais, se dependesse da banda e da plateia, poderia continuar por mais tempo que ninguém ali iria reclamar.

Transatlantic_5803
Foto: Henrique Pimentel

Confira todas as fotos desse show!

Setlist:

Into The Blue
My New World
Shine
The Whirlwind (partes);
– I. Overture
– VI. Rose Colored Glasses
– VII. Evermore
– XI. Is It Really Happening
– XII. Dancing With Eternal Glory
We All Need Some Light
Black As The Sky
Kaleidoscope
All of The Above / Stranger In The Soul