Por: (Arte Metal)

O SANGRENA chega ao seu segundo álbum oito anos após o debut. Uma espera considerável, mesmo sabendo que a banda de Amparo/SP chegou a participar do vídeo “25 Years Thrashing Heads – Live at Executer Fest” em 2013. A espera valeu à pena, enfim.

Em seu debut – que também demorou quase dez anos pra ser lançado –  a banda mostrou fúria e competência com seu Death Metal e resquícios de Thrash. Em “Hunter” a coisa não é diferente. Mas o salto evolutivo da banda é latente e isso engradece demais este novo trabalho.

Impactante desde a primeira audição, “Hunter” é um disco que alia técnica, peso e agressividade num equilíbrio impressionante. Em nenhum momento a banda se perde, e faz um trabalho intensamente coeso, trazendo o Death Metal com resquícios de Thrash, já mencionado anteriormente.

Variação rítmica e uma dose homeopática de melodia são os novos elementos na sonoridade da banda, e tudo isso já aparece em Deceptive Redemption, faixa que abre o disco com o dinamismo necessário e riffs cativantes. Outro destaque é Reason to Kill, que possui brutalidade e velocidade a esmo, mas tem uma quebrada que chega a arrepiar.

Essa quebrada retorna em Araguaia Terror, excelente variação. A semi cadenciada Tracker é a grata surpresa do disco e mostra como a banda conseguiu manter-se pesada se abdicando da velocidade. E, o mais impressionante, é o trabalho monumental da bateria, que encaixa viradas muito legais!

“Hunter” é um álbum conceitual inspirado no livro “O Nome da Morte”, de Klester Cavalcanti e conta a história de um assassino por ofício que tem medo de ir para o inferno. A produção é outro ponto de evolução excelente, já que o trabalho aqui ganhou detalhes atemporais, soando entre o orgânico e o moderno, sem exageros, mérito do guitarrista Fábio Ferreira. Um petardo!

Sangrena - Hunter

Nota: 9,0

Tracklist:

  1. Deceptive Redemption
  2. Reason to Kill
  3. Ambush
  4. Araguaia Terror
  5. Tracker
  6. Killer’s Code
  7. Serra Pelada
  8. Betrayal
  9. 492
  10. The Scape

Link sobre a banda:

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.