Por: (Arte Metal)

Quando lançaram o debut From Now On em 2012, os pernambucanos do Still Living surpreenderam com seu Hard Rock/AOR de primeira linha. Mostrando maturidade e conhecimento de causa, a banda alavancou outras oportunidades, relançou o próprio trabalho, além de participar de coletâneas e aumentar consideravelmente sua visibilidade.

Agora, quase 3 anos depois, surge o segundo trabalho. Humanity poderia servir como uma prova de fogo, mas pelo que ouvimos, a banda acabou tirando de letra e mostra que o novo disco é uma evolução natural do anterior, além de ainda fincar mais suas próprias características nas músicas.

A banda continua a não esconder suas influências de Journey, Whitesnake, Europe e até Bon Jovi do início de carreira, mas consegue dar sua própria lapidada nas composições e impor sua identidade. Isso fica evidente na versatilidade de elementos que o Still Living demonstra, sendo uma de suas principais particularidades.

O peso das guitarras está na medida certa, sendo que os solos aparecem com uma técnica mais apurada e melodia coerentes. A cozinha mostra a simplicidade do estilo, porém a coesão é fundamental. Os teclados imperam nos arranjos e dão a suavidade necessária, sendo que o vocalista Renato Costa mostra um bom equilíbrio e não desliza em momento algum.

A produção feita no Alpha Studio é de qualidade, mas o estilo pede ainda mais ‘limpidez’, sendo que esse é um detalhe mínimo perto do lado positivo que o trabalho possui. Destaque para faixas como Flyingh High (que foi lançada como single e prévia do trabalho), Murder of Crowns, Shelter, Way Back Home e Rock and Roll Thunder. Vale destacar que o trabalho ainda conta com duas bônus que são Hollow Man (que foi regravada com o novo baterista e ganhou nova mixagem) e Surrender. Aprovado!

CAPA-ALTA

Nota: 8,0

Links sobre a banda:

Facebook / Palco mp3

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.