Por: (Arte Metal)

É fácil se deparar no cenário metálico nacional (ao menos) com headbangers das ‘antigas’ que reprimem a garotada nova na cena. Mal sabem que esses jovens sustentam o movimento tanto quanto eles (ou até mais), além de serem o futuro de um gênero musical que nunca está garantido e nunca foi, desde seu surgimento.

Bom, e o que isso tem a ver com o Talrak? Tem a ver que o pessoal aqui mal atingiu a maioridade e põe no chinelo muito marmanjo metido a dono do Metal. Aliás, apesar de novos, os integrantes são experientes, inclusive integrando outros grupos com qualidade como o vocalista e guitarrista Matheus Scarlate que já foi do Enforcation.

Partindo para o que interessa, que é o conteúdo deste EP de estreia, temos um Death Metal potente e atual, em primeira instância. Versátil, com variação rítmica e dose homeopática de melodia, o trabalho agrada pela ótima execução e equilíbrio das composições.

O mais impressionante de tudo, é como o quarteto consegue soar objetivo e mesmo assim conseguir variar no andamento sem se perder e mantendo suas características. Os riffs são potentes, com solos esporádicos bem encaixados e uma cozinha extremamente com pegada, tudo bem produzido e tendo à frente vocais cavernosos que vociferam temas relacionado à mente e sua insanidade, desespero e por aí vai.

A produção é acima da média, mas ainda assim dá pra melhorar e lapidar ainda mais o som do grupo, mas isso é algo que pode facilmente ser aprimorado em um futuro próximo. Destaque para as faixas Symbolizing Artifacts e Pleasure of Unfair, enfim, conheçam essa banda!

covertart34

Nota: 8,5

Tracklist:

  1. Prologue
  2. Symbolizing Artifacts
  3. Ancient Etruria
  4. Pleasure of Unfair
  5. Paralysis
  6. Cursed by the Real Visionof Knowledge
  7. Inquisition Philosophy

Links sobre a banda:

Facebook / Bandcamp

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.