Por: (Arte Metal)

Os italianos da banda Tothem retornam após três anos do lançamento de seu debut, o ótimo Beyond the Sea. No entanto, a proposta mais Gothic/Symphonic Metal apresentada no debut, aqui vem mais incrementada e abrangente, o que soma muito mais para a carreira da banda.

Gemini sem dúvidas é um disco mais variado, tanto na parte instrumental, quanto no trabalho vocal de Roslen Bondì. No novo disco, a cantora aposta em vocais mais naturais e encaixa suas linhas líricas no momento certo, facilitando a audição que acaba se tornando prazerosa.

O instrumental só foi prejudicado pela oscilação na produção. Longe de ser ruim, a qualidade sonora poderia ao menos dar mais peso à guitarra de Black Cyril e soar mais polida. Porém, não tira o brilho do trabalho bem elaborado, das composições bem estruturadas e com arranjos excelentes.

Com uma cozinha eficiente, a banda transita entre os já mencionados Gothic e Symphonic Metal, mas adiciona elementos do Power e do Prog Metal sem perder a identidade. A variação no andamento das composições também é outro fator preponderante na qualidade de Gemini.

Destaque para as músicas Legacy, a pegajosa Liar, a poderosa balada L’essenza que é cantada na língua pátria e com show de Roslen, além da ótima The Other Half. Gemini é um disco mais moderno que seu antecessor, que mesmo assim herda características do início da banda, mantém uma essência, mas possui a evolução natural.

tothem

Nota: 8,0

Tracklist:

01. Gemini
02. Die a Thousands Lives
03. Legacy
04. Soul Mates
05. Bipolar Disorder
06. Liar
07. L’essenza
08. The Other Half
09. The Rains of Castamere
10. The Witch (live)

Links sobre a banda:

Site / Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.