Por: (Arte Metal)

O VISIONS OF ATLANTIS é um dos grandes expoentes do Symphonic Metal. Mesmo não tendo alcançado o status de bandas consagradas como o NIGHTWISH e EPICA, desde 2000 a banda austríaca vem lançando álbuns regularmente e de qualidade acima da média.

“The Deep & the Dark” é o sexto disco da carreira do grupo e chega cinco anos após o último trabalho, “Ethera” (2013). O único remanescente da formação original é o baterista Thomas Caser, sendo que Clémentine Delauney (vocal, no grupo desde 2013), Herbert Glos (baixo) e Christian Douscha (guitarra) entraram em 2017 e o vocalista Michele Guaitoli chegou este ano.

Ou seja, uma banda totalmente reformulada, mas que surpreendentemente mantém a pagada do VISIONS OF ATLANTIS e, melhor ainda, com uma energia renovada. O senso criativo é muito bom, segue vários clichês, porém de forma bem elaborada e execução quase que perfeita.

O disco começa bem intenso com duas ótimas composições, que seguem o lado alegre do estilo. São elas a faixa título e Return To Lemuria, músicas potentes, equilibradas e pra cima. A erudita e lenta The Last Home também chama a atenção, além da progressiva Dead Reckoning. Words of War é um Power Metal contagiante que já fica na mente na primeira audição.

A mescla do peso com a suavidade dos arranjos clássicos se faz presente, e as linhas de voz em dueto entre Clémentine e Michele (vocais limpos, não guturais) é a cereja do bolo. A produção de Frank Pitters com masterização de Mika Jussila no Finnvox Studios é soberba. A capa talvez seja uma das mais bonitas da discografia da banda.

Visions of Atlantis - The Deep & the Dark

Nota: 8, 5

Tracklist:

  1. The Deep & the Dark
  2. Return to Lemuria
  3. Ritual Night
  4. The Silent Mutiny
  5. Book of Nature
  6. The Last Home
  7. The Grand Illusion
  8. Dead Reckoning
  9. Words of War
  10. Prayer to the Lost

Link sobre a banda:

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.