Por: (Arte Metal)

Após lançar o mais recente álbum do W.A.S.P., Golgotha (2015), e relançar Dominator (2007), a gravadora brasileira Shinigami Records relança no mercado nacional, Babylon. Originalmente lançado em 2009, o trabalho faz a ponte dos discos citados anteriormente e segue a linha mantida pela banda até os dias atuais.

O disco soa como uma evolução natural de Dominator e mostra a banda ainda mais entrosada, já que a formação com Doug Blair (guitarra), Mike Duda (baixo) e Mike Dupke (bateria), obviamente além de Blackie Lawless (vocal/guitarra), fora mantida e vinha trabalhando desde 2006 (hoje só Dupke não está mais no grupo).

A sonoridade característica do W.A.S.P. aparece em grande parte do trabalho, com as guitarras um tanto quanto ríspidas dando as caras, com bases sólidas e solos bem encaixados. Uma pegada extra de Rock clássico se faz presente e a produção também mantém as características do grupo, já que o próprio Lawless cuidou desta parte.

O disco tem um começo enérgico e cativante com a trinca Crazy, Live to Die Another Day e Babylon’s Burning, que são músicas fortes e com bons refrãos, além de fácil assimilação. Após o cover de Burn (Deep Purple), o disco cai em algo mais obscuro (não de qualidade) e segue uma parte mais burocrática.

A balada Into The Fire prova isso e soa belíssima, sendo que o peso aparece com mais ênfase nas composições seguintes, o que pode ser provado nos riffs de Seas of Fire. Há outro belo cover que fecha o disco, e ainda mais enraizado, para a faixa Promised Land, de Chuck Berry. Babylon é um autêntico disco do W.A.S.P. que pode ser ouvido pelos apreciadores da banda sem medo.

wasp_2

Nota: 8,0

Tracklist:

01. Crazy
02. Live to Die Another Day
03. Babylon’s Burning
04. Burn (Deep Purple cover)
05. Into the Fire
06. Thunder Red
07. Seas of Fire
08. Godless Run
09. Promised Land (Chuck Berry cover)

Links sobre a banda:

Site / Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.