Por: (Arte Metal)

Estes sergipanos surgiram em 2009, mesmo ano em que lançaram a demo “Death”. Mas, somente agora, oito anos depois, o grupo solta seu debut. Acumulando experiência e conhecimento de causa, a banda hoje é formada por Marcos P. Viking (vocal), Eduardo Vysceral (baixo), Thiago Madness (guitarra) e Carlos Morte (bateria).

A proposta gira em torno do Death Metal e a banda traz influências do ‘old school’ tradicional da Flórida mesclado com o Metal extremo nacional. O trabalho também apresenta leves influências de Thrash Metal que faz com que as composições soem mais dinâmicas.

A principal característica do WARFIELD DEATH é variar nos riffs e bases de guitarras, além de apostar também na variação rítmica, não soando repetitiva nesse quesito, principalmente na velocidade o tempo todo. A cozinha tem o destaque na bateria que usa o bumbo duplo com levadas cadenciadas, o que traz aquele tradicional ritmo marchante e pesado.

A banda aposta em letras em português, porém com vocais ininteligíveis é difícil compreender as letras de forma clara. Mas depois de várias audições, nota-se que a banda mescla metáforas obscuras e fúnebres com fatos ligados à sociedade e todos seus problemas.

Destaque para as faixas Brutal e Sucumbindo ao medo. A produção é ok, mas a banda precisa tomar mais cuidado com a apresentação gráfica, tipo um encarte com informações e uma impressão melhor do mesmo (arestas fáceis de serem aparadas num futuro trabalho). Por fim, o conjunto da obra é acima da média. O Metal extremo manda no nordeste!

Warfield Death - Sucumbindo ao Medo

Nota: 8,0

Tracklist:

  1. Brutal
  2. Vingança Infernal
  3. Sucumbindo ao Medo
  4. Mãos Fechadas Para Injustiça
  5. Sangue Derramado
  6. Mercadores da Morte
  7. Uma Festa que Acaba em Funeral

Link sobre a banda:

Facebook

 

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.