Pain – Peter Tägtgren

Se você é um fã de Heavy Metal, muito provavelmente já deve ter ao menos ouvido falar de Peter Tägtgren. Além de músico e líder das bandas Hypocrisy e Pain, ele ainda arruma tempo para produzir os trabalhos de centenas de bandas da cena, como já fez com Dimmu Borgir, Children of Bodom, Amon Amarth e Immortal, apenas para citar algumas.

Depois de ter vindo pela primeira vez à América do Sul com o Hypocrisy em 2010, Peter agora se prepara para iniciar uma nova turnê por aqui, dessa vez com o Pain. A banda faz única apresentação em território brasileiro no próximo sábado (12/5) no Blackmore Rock Bar, em São Paulo. Nessa rápida entrevista, o incansável Peter nos conta algumas curiosidades da trajetória do Pain até aqui e sobre suas expectativas para esses shows.

Portal do Inferno: Peter, conte-nos um pouco sobre o processo de composição do último trabalho do Pain, You Only Live Twice. Você costuma compor durante as turnês ou só começa a pensar num novo trabalho quando elas terminam?
Peter Tägtgren:
Olá! Normalmente, eu não penso em compor enquanto estou em turnê. Eu prefiro estar em paz e em um ambiente quieto enquanto faço isso. Turnês são muito caóticas.

P.I.: Depois de praticamente um ano de seu lançamento, o que você pode dizer sobre a repercussão que esse novo trabalho teve pelo mundo até o momento?
Peter:
Parece que as pessoas gostaram muito dele. Elas dizem que este álbum é mais dark e heavy que os demais e ajudam o PAIN a sair bastante em turnê. :-)

P.I.: Voltando um pouco no tempo, durante 2008/2009 o Pain fez uma extensa turnê pela Europa abrindo diversos shows para o Nightwish. Como foram aqueles shows, e a recepção dos fãs a essas apresentações?
Peter:
Foi incrível excursionar com o Nightwish, são caras, garota e equipe legais… eles nos ajudaram muito a alcançar outros níveis também. Os fãs de Nightwish nos deram uma resposta melhor do que poderíamos imaginar.

P.I.: No ano passado, a banda lançou uma nova música, chamada My Angel, com participação da francesa Cécile Siméone. Como surgiu essa música e o convite para Cécile?
Peter:
Compor essa música foi uma daquelas coisas impulsivas, sabe? Aconteceu muito rápido e foi uma boa experiência para mim e para ela e espero que possamos fazer isso novamente. Eu gosto de fazer coisas que normalmente não faria.

P.I.: Agora, uma curiosidade. Se você tivesse que apresentar uma única música do Pain para algum fã de rock/metal que nunca ouviu a banda, qual você escolheria?
Peter:
Não tenho ideia! As pessoas talvez diriam Shut Your Mouth, mas eu provavelmente escolheria Monkey Business, ou Let Me Out, ou Same Old Song… hmmm… não sei…

P.I.: E sobre os músicos que lhe acompanham nas turnês do Pain atualmente? Como você chegou a eles?
Peter:
O David (Wallin, baterista) toca comigo desde 2003 e nos conhecemos por meio de um amigo. O Michael (Bohlin, guitarrista) eu conheço desde 1996 quando ele costumava levar o IT (Tony Särkkä, ex-guitarrista do War) ao estúdio para gravar com o Abruptum ou quando nós tocamos no War. Ele era casado com a irmã do IT. E Johan (Husgafvel, baixista) e Michael tocaram juntos na 8th Sin. Mundo pequeno.

P.I.: Peter, como você se organiza para conciliar as atividades do Pain, do Hypocrisy e os seus diversos trabalhos como produtor?
Peter:
Eu acho que sou esquizofrênico, sempre estou lá na frente planejando a minha vida.

P.I.: Você já teve contato com algum músico/banda de heavy metal do Brasil? Já foi convidado para produzir alguma?
Peter:
Desde que conheci o Eric (de Haas, Dynamo Records), há dois anos, isso me ajudou muito a sair em turnê e lançar meus álbuns, finalmente. Antes disso, eu não tinha nenhum contato.

P.I.: A partir da próxima sexta, 11 de maio, o Pain dará início a sua primeira turnê pela América do Sul, depois de você ter vindo (pela primeira vez também) com o Hypocrisy, em 2010. O que espera desses shows? Haverá alguma surpresa?
Peter:
Nós vamos trabalhar bastante na América do Sul porque é muuuuuuito bom tocar aí. Eu quero mostrar para os caras da banda como um público deve ser. Quando estivermos no palco, nos dedicaremos 100% porque queremos que vocês nos queiram de volta. Esse é apenas o começo do PAIN na América do Sul. :-)

P.I.: Depois dessa turnê pela América do Sul, quais são os seus próximos planos?
Peter:
Tocarei em festivais de verão na Europa, tanto com o PAIN quanto com o Hypocrisy.

P.I.: Muito obrigado por essa entrevista. O espaço é seu para deixar uma mensagem aos seus fãs brasileiros.
Peter:
Espero vê-los em breve e espero que a gente deixe uma boa lembrança e que não façamos vocês perderem seu tempo no show. Amo todos vocês!!!