Por: Victor Santos

Mike LePond é um virtuoso baixista aclamado no mundo inteiro, sendo mais conhecido por seu trabalho junto aos titãs do metal progressivo Symphony X. LePond nos apresenta agora seu projeto solo que é um verdadeiro ataque sonoro do mais puro Heavy Metal: Mike LePond´s Silent Assassins. Neste álbum encontramos influências de célebres bandas do Heavy Metal tradicional dos anos 80, influências essas que sentimos renovadas por um leve toque das bandas de Folk e Viking Metal de hoje em dia nos fazendo sentir através do prazer da audição duas coisas que sentimos falta em nosso mundo: Essência e Autenticidade.

Feito de Headbangers para Headbangers, este álbum é uma celebração de todo o poder e a glória o qual costumamos chamar… Heavy Metal! O Portal do Inferno falou um pouco com Mike sobre o Symphony X e seu projeto, confira abaixo.

MAL.LoveLive.badass
Mike Lepond

Portal do Inferno: Mike, muito obrigado pelo tempo cedido!
Mike Lepond: Obrigado pela entrevista :-)

PI: Pode nos dizer como você chegou ao baixo?
Mike: Quando eu tinha 13 anos de idade meu pai me levou em um show do KISS e foi o mais sensacional que já ví em minha vida toda. Gene Simmons estava cuspindo sangue, soprando fogo e voando pelo palco. Desse dia em diante eu decidi que iria ser um baixista.

PI: Para você, o que difere do seu estilo para dos outros baixistas? Você se inspira em algum?
Mike: Meu estilo de tocar mistura Blues, Hard Rock, Heavy Metal, Música Clássica e Celta. Minhas maiores inspirações são Joey Demaio, Steve Harris, Geezer Butler, e Geddy Lee. Eu também sou influenciado por guitarristas como Ritchie Blackmore.

PI: Como você começou com esses trabalhos de projeto paralelos, qual foi o motivo com que fez além do Symphony X, lançar algo simbólico a mais para apreciação do público headbanger?
Mike: Eu amo tocar com outros músicos porque eua credito que isso me faz melhorar como baixista e como compositor. Meu estilo favorito é o heavy metal tradicional  eu sempre tive o sonho de lançar um álbum do estilo.

PI: Qual foi o enredo principal que inspirou a maioria das composições de Silent Assassins?
Mike: Houveram vários pequenos enredos. Eu amo História, Mitologia e Literatura e eu acredito que essas estórias épicas casam muito bem com o Heavy Metal. Sendo assim cada música tem a sua pequena história a contar, você pode bater cabeça e aprender ao mesmo tempo.

Mike and Alan
Mike e Alan

PI: Pode nos falar sobre como foi a produção de Silent Assassins?
Mike: Minha meta para a produção e Silent Assassins era ter um som de Heavy Metal a lá anos 80, mas com a orquestração usada hoje em dia. O uso que fiz dos teclados deu ao álbum uma qualidade única. Ele misturou aquela sonoridade mais crua do Metal das antigas com a sonoridade dos anos 2000.

PI: E a repercussão, tem recebido muita resposta?
Mike: A repercussão tem sido muito melhor do que eu jamais poderia imaginar. A imprensa tem dado ao álbum constantemente excelentes resenhas. Eu tinha um pouco de receio pelo o que os fãs do Symphony X poderiam pensar, mas eu fico realmente feliz de te contar que eles gostaram muito do álbum também.

PI: Para você, qual a faixa que mais se destaca de Silent Assassins e por quê?
Mike: Minha música favorita é a faixa 3, The Quest. Eu amo música medieval e eu sempre sonhei em compor dessa maneira. É uma combinação de Heavy Metal com música renascentista. Rei Arthur e seus cavaleiros em busca do mítico Santo Graal.

PI: Mike, você entrou no Symphony X entre os anos 1999 e 2000, desde então, o que você tem visto sobre a evolução da banda nesses aproximadamente 16/17 anos contando você como formação?
Mike: Quando eu entrei no Symphony X, nós tínhamos uma sonoridade mais neoclássica. Conforme os anos avançavam, nós constantemente ficávamos mais pesados e como consequência nós perdemos alguns fãs e ganhamos vários novos fãs. Eu curto tocar bastante ambos os estilos.

PI: Você pode paralelamente como foi trabalhar o último álbum do Symphony X (Underworld)?
Mike: Eu amei compor e gravar o Underworld, é um dos meus álbuns prediletos do Symphony X! Nós realmente demos duro em cada música e quando nós finalmente terminamos nós sabíamos que tínhamos algo especial em nossas mãos. Estou realmente ansioso para o tocar ao vivo.

PI: Sobre shows com o projeto paralelo, o que ficou decidido?
Mike: Eu realmente iria amar tocar ao vivo com o Silent Assassins, já tenho até uma banda pronta para detonar ao vivo. Eu preciso apenas encontrar o tempo entre as turnês que faço com o Symphony X.

PI: Por favor, deixe comentários tanto para os fãs do Symphony X e do Silent Assassins.
Mike: Para todos os fãs do Symphony X e do Silent Assassins eu gostaria de agradecer por todos esses anos de lealdade e apoio. Eu amo todos vocês e irei ver vocês em nossa turnê!

O álbum pode ser ouvido abaixo:

Gustavo Pavan

Headbanger, técnico em informatica, programador e produtor de shows underground.