Por: (Arte Metal)

Tudo bem, lá se vão 18 anos de carreira, mas lançar nove álbuns neste tempo (doze trabalhos se contarmos os outros formatos) hoje em dia é ser prolífico sim. E mais, lançando os trabalhos com regularidade e agradando tanto mídia como ao público. É assim que estes suecos chegam a “Worship or Die”.

Trata-se de um disco que mantém as características da banda, que possui um talento incrível em se adaptar ao tempo e destilar seu Heavy Metal com nuances de Power Metal, totalmente influenciado por clássicos como DIO, RAINBOW e até o BLACK SABBATH da fase do próprio Dio.

Isso porque Nils Patrik Johansson (vocal) não nega suas influências, com suas linhas potentes e imponentes, porém com um instrumental pesado e dinâmico feito por uma banda em que dois terços dos integrantes estão desde o início da formação, enfim, algo que explica essa coesão toda.

A variação rítmica é algo importante a se ressaltar, já que a banda não apela para os clichês simples de palhetadas e bumbos rápidos, pelo contrário, aposta muitas vezes em linhas cadenciadas cheia de pegadas. Tudo regado a riffs pesados, baixo vibrante e uma bateria versátil cheia de pegada.

“Worship or Die” é um disco que prima pela melodia na medida certa, intensidade o tempo todo e fortes refrãos. A cada audição o tracklist parece ficar cada vez mais rico e dificulta destacar uma faixa ou outra. A produção do próprio ASTRAL DOORS conseguiu arrancar um som moderno, porém natural. Um dos melhores discos da banda.

Nota: 9,0

Links sobre a banda:

Site

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.