Após 24 anos o Iron Maiden, retorna novamente ao Palestra Itália, agora Allianz Parque, com um estadio em sua lotação máxima, para encerramento da tour brasileira do álbum The Book of Souls.

eddie-iron-maiden-2016-book-of-souls-tour
Iron Maiden

A noite se iniciou com a apresentação dos novatos do The Raven Age, banda composta pelo filho de Steve Harris, a banda com seu visual moderno, tem um som com pegadas de groove/metal, como toda banda iniciante ou não, é uma tarefa difícil abrir um show para uma banda com cacife do Iron Maiden. The Raven Age, fez uma apresentação curta, mas muito vibrante com ótimas musicas agradou o publico mais novo da Donzela e mostrou para que veio para ficar e  já tem uma leva de fã que os seguiram.

A segunda apresentação da noite os veteranos do thrash metal Anthrax, trazendo a divulgação do seu mais recente trabalho For all Kings, os americanos já são velhos conhecidos do publico brasileiro. Apesar do show de apenas uma hora Anthrax, fez uma apresentação memorável mesclando clássicos e novas musicas Evil Twin, Caught in a Mosh e Breathing Light, mas o ápice do show veio com jam de Andreas Kisser, em Indians que fez as pedras rolarem com a introdução de Refuse/Resist.

Mas um intervalo o público já ansioso para apresentação principal da noite, Iron Maiden, muitos como eu mais ansioso para ver Bruce Dickinson, pois como todo fã sabe o mesmo travou uma batalha contra um câncer na língua.

Eis que nos PA´s começa a tocar Doctor Doctor, e anuncia que o espetáculo irá começar com uma intro animação espetacular nos telões, os gritos de Maiden aumentam e surge o mestre Dickinson, que da incio ao ritual com If Eternity Should Fall, Speed of Light, com seu clipe uma bela homenagem aos games antigos, na sequência o primeiro clássico Children of Dammed, seguida de Tears of a Clown e The Red and  The Black. Com as trocas de backdrops, eis que surge The Trooper, que elevou a empolgação do público presente ainda mais, Powerslave, deixa o público em êxtase para mais musicas do novo álbum, Death or Glory e The Book of Souls, está última com entrada do mascote Eddie, ao palco que interagiu com a banda e teve seu coração arrancado por Bruce. Com este fatalite, fechasse o primeiro ato e da inicio aos clássicos da reta final do show Hallowed Be Thy Name, Fear of The Dark, Iron Maiden, fazendo com que a banda saia do palco aos gritos dos fãs tomem um água e retorne para o palco para o bis com The Number of the Beast, Blood of Brothers e Wasted Year.

Todo show do Iron Maiden é sempre ter mais do mesmo musicas novas e as clássicas que levam o público ao delírio, a banda mostra que não é somente à musica que faz o show e sim todo o cenário, com show pirotécnicos, não um show comum e sim muitas vezes chega a ser uma pequena peça teatral.

Fernando Custódio Moreira

Só mais um ser humano que adora Heavy Metal. Stay Metal Heavy Metal Forever.