Por: (Arte Metal)

Estes mineiros estão na ativa há quatro anos e antes deste trabalho estremeceram o subsolo da música extrema com a demo Razão Sombria (2013), que teve reconhecimento no cenário underground. Agora, sem esconder suas influências e com suas particularidades, a banda mostra seu poderio em um álbum completo.

Animal, além de traduzir em música o nome da banda, faz jus ao título e não perdoa os desavisados. A proposta é um Crossover extremamente influenciado por nomes como Ratos de Porão (os vocais enfatizam isso), Lobotomia e Korzus, porém com suas características próprias.

O primeiro fator próprio do grupo é trazer a sonoridade para os tempos atuais. Desde a execução das músicas, os timbres dos instrumentos e a produção sonora, Animal soa moderno, porém não artificial (como muito se vê atualmente). A inclusão de certo ‘groove’ também traz identidade à música, assim como a dinâmica variada e a técnica na medida certa.

Em meio a fortes riffs e uma cozinha cheia de pegada, o vocalista João Mário vomita o caos social e protestos em português, algo que casa bem com a sonoridade do quarteto. Destaque para as faixas Atentado Terrorista, que abre o disco após uma intro sem piedade e Descartável.

Merecem destaque também H’Odeio, que além da boa sacada no nome faz uma crítica ferrenha aos ‘rodeios’ por aí, Futuro do Brasil e seu intenso ritmo, além de Nóia que fecha o trabalho sem delongas. Qualidade, brutalidade e ‘ódio’ resumem bem Animal, que é um belo disco!

Ódio ao Extremo - Animal

Nota: 8,5

Tracklist:

  1. Kaos
  2. Atentado Terrorista
  3. Animal
  4. Descartável
  5. H’Odeio
  6. Palhaçada Generalizada
  7. Merda
  8. Na Real
  9. Inverno Nuclear
  10. Futuro do Brasil
  11. Não!
  12. Palestina
  13. Nóia

Links sobre a banda: 

Facebook / Soundcloud

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.