Por: (Arte Metal)

Apesar de Gore Aberration ser apenas o segundo full-lenght do Pathologic Noise e de ser lançado 12 anos após seu debut, a banda é uma clássica formação mineira, formada em 1992 e um dos principais nomes do Metal extremo do estado das montanhas.

Lançado no Brasil via Cogumelo Records e nos EUA pela Greyhaze Records (selo que tem lançado e relançado álbuns das bandas clássicas do catálogo da gravadora mineira), o trabalho traz praticamente tudo o que o Death Metal oferece com uma fúria absurda e técnica acima da média.

Com conhecimento de causa e uma gana impressionante, o Pathologic Noise consegue impor um ritmo intenso e objetivo no trabalho. Enquanto Claydson Melo e César Pessoa fabricam riffs potentes e solos com certa dose de melodia, L. Muratchas explora seu kit com batidas que se alternam entre semi-cadenciadas e ‘metrancas’ arrasadoras. Ao mesmo tempo em que urra com maestria, Tchescko Suppurator destila linhas de baixo simples, mas que dão suporte suficiente para manter o peso das composições.

A capacidade de ir do ‘old school’ ao Brutal Death Metal gera preciosidades como Sexual Murder (que riff sensacional!), Lights on the Dark Sky e Calling with the Deads. Mas, com a pegada e objetividade da banda, “Gore Aberration”, que conta com uma ótima produção, é um disco que se ouve de cabo a rabo facilmente.

Pathologic Noise – Gore Aberration

Nota: 8,5

Tracklist:

01. Never Ending Blood’n Hate
02. Sexual Murder
03. Pathologic Metal Vision
04. Master of Suffering
05. Bloody Deliriums
06. Lights on the Dark Sky
07. Calling with the Deads
08. War Lust (Queen of Carnal Pleasures)

Links sobre a banda:

Facebook / Bandcamp

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.