Pela primeira vez no Brasil, o Matchbox Twenty fez uma apresentação para nenhum fã reclamar. Com a casa lotada em plena terça-feira, às 21h em ponto a banda subiu ao palco e, antes do show seguir, a primeira preocupação dos músicos foi avisar que a ansiedade de tocar no Brasil já durava 17 anos e que iriam fazer um show de mais de duas horas, haja empolgação por parte da plateia. Apresentaram músicas do álbum North (2012) e grandes sucessos ao longo da sua carreira em um repertório de “apenas” 27 músicas. De fato, aquele show satisfez qualquer fã que esperou por tanto tempo para ver a banda

Matchbox Twenty

Parade, Bent e Disease foram as responsáveis por abrir a noite, dominando a plateia em euforia, principalmente as mulheres, mas nada que impedia que marmanjos também ovacionassem o grupo com empolgação. O público era bem diversificado: de adolescentes a “trintões”, assim como a banda e, claro, não faltaram casais apaixonados, que cantavam e dançavam abraçados a cada música. 3 A.M. foi, sem dúvida, o primeiro grande clássico da banda a não deixar ninguém parado, e principalmente relembrar épocas de colégio pela maioria ali dos presentes.

Entre o repertório, a animada All Your Reasons com seus “parapá pa parara rá”, contagiou a plateia; seguida de Long Day, da balada estilo texana I’ll Believe You When. Outro grande sucesso aclamado pelo público foi Girl Like That e vale ser destacado como um dos pontos fortes do show. Uma pausa para um cover de Eagles, da canção Hang/Peaceful Easy Feeling e, em seguida, o vocalista Rob Thomas apresenta aquela que ele diz ser a música que mais gosta do disco North, a balada I Will. E assim seguiu a primeira parte do show com grandes sucessos, como Unwell até fechar com The Way e Bright Lights.

Matchbox Twenty

Rob Thomas interagia muito bem com o público, fazendo gestos com as mãos, ora demostrando sentimentos, ora imitando a chuva caindo, ora simulando ondas em um fluxo constante. Os guitarristas também marcaram presença correndo de um lado para o outro no palco e agitando a galera. Paul Doucette tocou piano, percussão e samples, enquanto Kyle Cook cantou, muito carismático, em The Way. Alguns músicos gostam de ficar mais quietos, só curtindo o momento e passando energia para a plateia do jeito deles, como é o caso do baixista Brian Yale, que ficava sempre próximo ao baterista, mas não menos empolgado.

Mais uma rodada de Matchbox Twenty? Ainda havia a segunda parte do show após 21 músicas. Nesta etapa, o público curtiu Our Song, How Long, Back 2 Good e Sleeping at the Wheel. Após uma breve pausa e interação de Rob com os fãs, a banda executou o segundo cover da noite, dessa vez Don’t Change, do INXS, que foi muito ovacionada.

Matchbox Twenty

Para delírio geral, encerrando a noite com chave de ouro, a música mais esperada e mais famosa de todas: Push, claro! Essa teria que estar no repertório, pois foi o primeiro sucesso e a música que tornou a banda mundialmente conhecida. E assim terminou o show do Matchbox Twenty e a banda realmente cumpriu a promessa de fazer um show de mais de duas horas. Foi uma grande estreia para a banda em território brasileiro. Houve gente que achou exagerado, mas creio que a maioria dos fãs não teve a mesma opinião!

Setlist:

Parade
Bent
Disease
She’s So Mean
How Far We’ve Come
3 A.M.
Real World
If You’re Gone
Overjoyed
All Your Reasons
Long Day
I’ll Believe You When
Girl Like That
Hang/Peaceful Easy Feeling (Eagles cover)
I Will
Unwell
Radio
So Sad So Lonely
English Town
The Way
Bright Lights

Bis:
Our Song
How Long
Back 2 Good
Sleeping at the Wheel
Don’t Change (INXS cover)
Push 

 

Portal do Inferno

Portal do Inferno é um site especializado em notícias do rock n roll ao metal extremo, resenhas, entrevistas e cobertura de shows e eventos!

Deixe um comentário