Stratovarius – Tavastia – Helsinki (FIN)

Em agosto, o Stratovarius anunciou uma série de seis shows com um set list muito especial: a banda decidiu tocar o álbum Visions, de 1997, na íntegra. O primeiro deles foi nos Estados Unidos, em setembro, e os demais, na Finlândia, terra natal da banda.

Stratovarius (foto: Renata Santos)

A primeira das apresentações “em casa” aconteceu no icônico clube Tavastia, em Helsinki, com ingressos esgotados. Pontualmente às 21h, ao som da instrumental Requiem, do álbum Intermission, Timo Kotipelto (vocal), Jens Johansson (teclado), Lauri Porra (baixo), Matias Kupiainen (guitarra) e Rolf Pilve (bateria) tomaram o palco e começaram a primeira parte do show, executando o clássico disco. A banda contava com um público bastante ansioso e misto, composto por adolescentes e fãs mais velhos que, claramente, acompanham o Stratovarius desde o começo da carreira. Fugindo da ordem das músicas, o show começou com a enérgica Forever Free, emendada pela aclamada The Kiss of Judas – na primeira parte dessa música, até o refrão, Timo errou toda a letra, causando risos no palco e na plateia.

O show seguiu com Legions, a belíssima balada Before the Winter, e a poderosa The Abyss of Your Eyes. Comparar o público finlandês ao brasileiro é até uma injustiça. Eles são bastante empolgados, à sua maneira, e respondiam bem à banda com aplausos, gritos e cantando todas as músicas com empolgação, mas nada do que estamos acostumados a ver em shows no Brasil. Os músicos, por sua vez, desempenharam no Tavastia, uma casa de shows relativamente pequena, a performance com a mesma competência, que nós, brasileiros, já vimos em grandes casas, em festivais e em locais menores. Vale sempre destacar a incrível presença de palco do carismático baixista Lauri Porra (Senhor Porra, para nós), e de Jens Johansson, que adiciona poder em cada música com suas notas.

Stratovarius (foto: Renata Santos)

Kotipelto teve uma breve pausa durante a execução da instrumental Holy Light, onde todos os músicos mostraram grande técnica, com grande destaque para Kupiainen. Logo em seguida, o vocalista estava de volta para fazer todo mundo levantar com as clássicas Paradise, Coming Home, Black Diamond e Visions. Durante a execução de Black Diamond, Kotipelto pegou a câmera de alguns fãs da primeira fila, em sua maioria mulheres, para fazer selfies e outras fotos de toda a plateia.

Após a Visions, a banda deixou o palco e o público não parou de aplaudi-la até que os músicos retomassem os seus postos, alguns minutos depois. O bis foi reservado para tocar algumas músicas mais recentes, a exemplo da trinca Unbreakable, Dragons e Fantasy, do mais recente disco, Nemesis, de 2013, e nesse momento, Kotipelto fez questão de dizer que as duas últimas músicas foram compostas por Johansson e Porra, respectivamente, pedindo os aplausos dos fãs. Eagleheart, do Elements I, de 2003, fechou o primeiro bis.

Stratovarius (foto: Renata Santos)

Para encerrar a noite, agora de vez, a banda escolheu Deep Unknown, do disco Polaris, de 2009. E, claro, como não poderia faltar nem ser diferente, Hunting, High and Low fez até o finlandês mais contido cantar essa música com grande alegria, fazendo este ser, definitivamente, o ponto alto da noite.

Assistir a essa apresentação em uma casa de shows tão famosa e importante para os fãs de metal finlandês, além de entender como o público local reage, foi uma experiência única. Resta saber o quanto a banda ficou empolgada de levar esse show para outros lugares. O Stratovarius já deu a deixa e perguntou em suas redes sociais onde as pessoas gostariam de ver o Visions sendo tocado na íntegra. Fica a expectativa por outros fãs de diversos países terem a oportunidade de conferirem esse grande show.

Clique aqui e confira todas as fotos desse show

Set list:

Requiem (intro)
Forever Free
The Kiss of Judas
Legions
Before the Winter
The Abyss of Your Eyes
Holy Light
Paradise
Coming Home
Black Diamond
Visions (Southern Cross)

Bis:
Unbreakable
Dragons
Fantasy
Eagleheart

Bis 2:
Deep Unknown
Hunting, High and Low

Renata Santos

Sou formada em jornalismo e colaboro com sites de música há quase dez anos. Integro a equipe do Portal do Inferno desde 2011.