O Brasil recebeu os três últimos shows da What Lies Beneath Final Tour 2012, de Tarja Turunen, nesta semana. O mesmo show já havia passado por aqui, com grande sucesso, em março do ano passado, e o cenário se repetiu nessa véspera de feriado, 5 de abril, em São Paulo: fãs fazendo fila desde cedo na porta da Via Funchal, empolgados para ver a vocalista como se fosse a primeira vez.

Os gaúchos da Tierramystica fizeram o show de abertura e apresentaram suas músicas do álbum A New Horizon, de 2010. Os fãs recepcionaram muito bem a banda, mas todos os ânimos estavam guardados para mais tarde. Já passava das 22h quando as luzes da casa se apagaram e somente a iluminação do palco destacava a enorme cortina do tamanho do palco com o rosto de Tarja. Os fãs gritavam a cada “vulto” que assumia seu instrumento, até que a vocalista surgiu soberana, com um belo vestido longo preto e máscara no estilo dos carnavais de Veneza, para cantar Anteroom of Death. A Via Funchal veio abaixo e o que se viu a partir daí foi uma frontwoman experiente e poderosa, que sabe encantar e segurar uma grande plateia por mais de duas horas, sem desanimar.

O repertório foi generoso e mesclou vários momentos da carreira de Tarja, com músicas dos seus dois álbuns solo, My Winter Storm (2007) e What Lies Beneath (2010); da sua carreira com o Nightwish; e um cover, que ela sempre faz questão de incluir nos shows. Desta vez, a banda homenageada foi Whitesnake, com uma ótima interpretação de Still of the Night. A noite ainda teve duas músicas inéditas, Into the Sun e Never Enough, que estarão no seu próximo álbum, ainda sem nome, com previsão de lançamento para 2013. Vale destacar também um pequeno e belo set acústico, com um medley de Rivers of Lust, Minor Heaven, Montañas de Silencio – faixa exclusiva da edição americana do segundo álbum solo – Sing for Me e I Feel Immortal.

Tarja, sempre muito carinhosa, trocava algumas palavras com o público nos intervalos, ora em boas tentativas de português com sotaque argentino, ora em inglês. Inclusive, ela declarou o seu amor aos fãs e disse que devia a eles as suas conquistas. A plateia, por sua vez, retribuiu da melhor forma possível para um artista: cantando suas músicas com muita paixão e fazendo daquela mais uma noite inesquecível. E, como já é tradição nas suas apresentações por aqui, alguns bichinhos de pelúcia e presentes foram lançados para o palco.

Os músicos que acompanharam esta etapa final da turnê merecem um grande destaque e muitos elogios. Mike Terrana (bateria), Christian Kretschmar (teclado), Kevin Chown (baixo), Alex Scholpp (guitarra) e Max Lilja (cello) fizeram um ótimo trabalho e executaram com perfeição as músicas da cantora. Terrana é um show à parte, o grande trunfo da banda. Ele traz o peso do heavy metal para contrastar com a suavidade lírica de Tarja e seu solo foi de tirar o fôlego, mostrando toda a sua técnica, velocidade e fúria no comando das baquetas.

Por mais que Tarja já tenha uma carreira solo consolidada, com muitos singles de sucesso e repertório suficiente para fazer um show totalmente seu, as músicas da sua época no Nightwish – goste ou não – são muito esperadas. O público gritava o tempo todo pela clássica Wishmaster, apesar de ter sido tocada no show de 2011, dessa vez, os pedidos não foram atendidos. No entanto, para reiniciar o show após um breve intervalo, Bless the Child, do álbum Century Child (2002), trouxe à tona as boas lembranças da sua antiga banda. O show se encerraria com Die Alive e Until My Last Breath, como estava previsto no setlist original. Os músicos se despediram, mas em seguida retornaram com uma surpresa: Over the Hills and Far Away, música de Gary Moore, também eternizada pelo Nightwish.

E assim terminou a noite: com sorrisos em cima do palco e na plateia e a sensação de missão cumprida. Tarja Turunen sabe que pode encontrar aqui uma legião fiel de fãs, que impressiona pela sua paixão. Talvez esse seja o grande segredo para que ela sempre volte e sinta um carinho tão especial pelos brasileiros. Certamente, quem deixou a Via Funchal na quinta-feira já estava ansioso pelo novo trabalho e nova turnê da Tarja. Que a espera não seja longa.

 

Setlist:

Anteroom of Death
Lost Northern Star
Dark Star
Naiad
Falling Awake
I Walk Alone
Solo de bateria
Little Lies (banda)
Little Lies
Into the Sun
Still of the Night (Whitesnake cover)
Rivers of Lust / Minor Heaven / Montañas de Silencio / Sing for Me / I Feel Immortal (acústico)
Never Enough
In for a Kill

Bis 1:
Bless the Child (Nightwish cover)
Die Alive
Until My Last Breath

Bis 2:
Over the Hills and Far Away (Gary Moore cover)


Clique aqui para ver todas as fotos deste show!
Clique aqui para ver mais vídeos no canal do Portal do Inferno no Youtube!

 

Renata Santos

Sou formada em jornalismo e colaboro com sites de música há quase dez anos. Integro a equipe do Portal do Inferno desde 2011.

Deixe um comentário