Por: (Arte Metal)

O RUINS OF ELYSIUM deixou uma ótima impressão com o seu primeiro EP, “Daphne”, lançado em 2016. Melhorou essa impressão com o single “Serpentarius” (música que se faz presente neste álbum) e agora se consolida de vez com o debut “Seeds of Chaos and Serenity”.

O trabalho é intenso, traz todas as características apresentadas pela banda e soa ainda mais maduro. A evolução mostra composições mais bem estruturadas, além de uma produção sonora melhor e mais condizente com a proposta do grupo.

O Metal sinfônico do RUINS OF ELYSIUM carrega seu diferencial nos temas épicos, mas não se resume a isso. O trabalho parece uma trilha sonora de filme, com arranjos sensacionais e carregados de sentimento, que ainda ganham peso de guitarras e uma variação rítmica que atinge o ouvinte emocionalmente.

Basta ouvir faixas como Shadow Of The Colossus, a já mencionada Serpentarius (um hit imediato) e The Birth of a Goddess, sem perder, é claro, a faixa título que é dividida em cinco partes. Todas interpretadas pelo tenor Drake Chrisdensen que também mostra amadurecimento e aborda desde temas místicos a sociais em suas letras. Por fim, “Seeds of Chaos and Serenity” é um disco belíssimo, que fica melhor a cada audição.

Ruins of Elysium - Seeds of Chaos and Serenity

Nota: 8,5

Tracklist:

  1. Kama Sutra
  2. Shadow of the Colossus
  3. Serpentarius
  4. Beyond the Witching Hour
  5. Iris
  6. The Birth of a Goddess
  7. Seeds of Chaos and Serenity

Link sobre a banda: 

Facebook

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.