O Worst reúne os amigos e bateristas Fernando Schaefer (Paura / Pavilhão 9 / Treta / The Silence) e Thiago Monstrinho (Medellin / Presto? / Chorume) , e é uma nova e grande promessa do Hardcore nacional. O primeiro álbum, Te Desejo Todo o Mal do Mundo, lançado neste ano, tem sido muito bem recebido por fãs e crítica e mostra exatamente para quê a banda veio: trazer à tona os problemas recorrentes da sociedade brasileira, sem censura e com a seriedade e a agressividade que sempre se manifestaram no estilo.

Em entrevista ao Portal do Inferno, Schaefer conta um pouco sobre as origens e as pretensões do Worst, que incluem uma negociação para lançar o material da banda no exterior. Confira:

Portal do Inferno: Primeiramente, obrigado pela entrevista. Como todos sabemos você é um músico envolvido com várias bandas. Como surgiu a ideia de montar o Worst? De onde veio o conceito para o nome da banda?
Fernando Schaefer:
A ideia surgiu em uma brincadeira entre o Monstrinho e eu querendo montar uma banda que tocasse tudo o que a gente gosta. Porém, não ia rolar duas baterias e nessa brincadeira o Monstrinho começou a dar uns berros no carro e vi que ele realmente tinha potencial vocal e um timbre legal para ser vocalista de Hardcore. O nome veio de que queremos ser os “Piores”, no bom sentido… ou mais pesado e desgraçado!!! hahahaha

P.I.: Como você concilia tempo para todas as bandas? Você participa da parte de criação musical de todas?
Schaefer: Diferente da maioria dos músicos de som pesado do País, só faço isso da vida e, como você sabe, aqui no Brasil não fazemos turnês. Tocamos quase sempre nos fins de semana, todas as bandas que eu trabalho têm agendas online e eu fico em cima de todas!

000 Worst HC

P.I.: As letras do Worst são agressivas e mostram muito do que acontece no dia a dia da sociedade, quem cuida da parte das composições? São ideias trazidas de vivências reais dos integrantes?
Schaefer: Todas as letras foram escritas pelo Monstrinho. Ele tem um talento especial para isso, ainda mais em português que para ficar ruim é bem rápido! As letras são sim acontecimentos com os integrantes na maioria das vezes.

P.I.: Quais são as influências do Worst e quais elementos dessas bandas vocês trouxeram para suas músicas?
Schaefer: O Worst é uma banda de Hardcore e Metal, nunca Metalcore! Hahaha… Temos influências de bandas como Lionheart, The Acacia Strain, Hatebreed, entre outras.

P.I.: Como está sendo a parceria com a Against Records? A Worst será a primeira banda lançada pelo selo, correto?
Schaefer: Está sendo ótima! O Paulo Bixo e o Mauro Landim, donos do selo, são grandes amigos e vivem a realidade do Hardcore. O legal é que eles cuidam da parte do merchandising da banda também. Somos a primeira banda do selo, mas a Against pretende lançar mais bandas no estilo.

P.I.: O Worst gravou recentemente seu videoclipe para música Vícios. Por que escolheram essa música e como foi o processo de gravação do clipe?
Schaefer: Essa música foi escolhida por falar da realidade da cidade de São Paulo e por ser uma faixa que não disponibilizamos para download e nem tem vídeos de gravação. Está fresca! O local escolhido foi no meio da rua nas imediações da Avenida Águas Espraiadas, na zona Sul de São Paulo, chamamos nossos amigos e parceiros do HCSP para participar junto com carros antigos e Harleys. O clipe foi lançado nessa semana em nosso site.

{youtube}http://www.youtube.com/watch?v=RiWvCCGOQuw{/youtube}

P.I.: Além de você, Thiago Monstrinho também é baterista. Vocês compartilham algumas linhas de batera ou tudo fica por sua conta? Como funciona a parte da construção musical do Worst?
Schaefer: As linhas de bateria ficam todas por minha conta. Claro que ele, sendo batera, sempre dá opiniões e na maioria das vezes legais. Compomos as músicas fazendo jams e saem com muita facilidade, uma vez que o Douglas e o Ricardo também são ótimos músicos.

P.I.: Tanto a arte gráfica do CD quanto a parte da gravação estão impecáveis. As bandas nacionais estão investido cada vez mais na profissionalização e, com isso, buscando lançar seu material no mercado internacional, pois aqui o retorno de shows muitas vezes não é grande. Vocês sentem isso também? O Worst tem intenção ou já está em negociação para lançar o álbum no exterior?
Schaefer: Sim! Temos sim a intenção de nos lançarmos na gringa, uma vez que o idioma dentro do Hardcore não é uma barreira muito grande como era há um tempo. Estou negociando com um selo na Europa, vamos ver o que rola. Mas, por enquanto, estamos focando bem aqui no Brasil.

P.I.: Não tem como não notar a tattoo escrito “Educação” que você tem nos dedos. Essa palavra é muito forte e abre muitas portas. Hoje, a sociedade não investe tanto na educação nas escolas e os valores morais e familiares estão sendo esquecidos. Sua tatuagem é uma manifestação a respeito da educação deficiente do País?
Schaefer: Além de uma manifestação aos “mal educados”, eu sinto muito orgulho da educação que dou a minha filha. Acho que muito mais do que na escola, dentro de casa é que você monta o caráter de uma criança. Se pesquisarmos o histórico familiar de pessoas criminosas, na maioria das vezes vemos que o exemplo que dentro de casa foi muito ruim, péssimo ou inexistente.

000 Schaefer

P.I.: Você, além de integrante, foi também o produtor do Te Desejo Todo Mal do Mundo. Muitas vezes, a banda assume a produção e não sai um resultado legal, mas esse não foi o caso do Worst. Passou pela cabeça de vocês trazerem um produtor de fora? Como foi a experiência de produzir o próprio trabalho? Dessa maneira, o som ficou 100% do jeito que a banda queria?
Schaefer: Acho que quando a banda num todo assume a produção, a coisa acaba ficando confusa com tantas opiniões. Com esse pensamento, tomei a frente do projeto e fiz tudo do jeito que quis, tanto na parte musical quanto na gráfica, nesta última contei também com meu parceiro Giovanni César. Gostei bastante do resultado como um todo, além de ter sido tudo bem rápido!

P.I.: A mixagem e masterização ficaram por conta de Thiago Hóspede, que é seu companheiro de banda no The Silence. Podemos dizer que Te Desejo Todo Mal do Mundo foi feito totalmente entre amigos? Qual foi o critério que você usou para escolher a equipe que cuidaria da finalização do álbum?
Schaefer: Com certeza! Tudo nessa banda e nesse álbum é feito entre amigos e parceiros, bem ao estilo Hardcore “Do it yourself”. Já estou acostumado a trabalhar com o Hóspede e acho ele um dos melhores técnicos e produtores do País.

P.I.: Valeu, Schaefer! Mais uma vez, obrigado por esse papo. O espaço do Portal do Inferno está aberto para você deixar seu recado aos fãs e aos amigos do Worst.
Schaefer: Obrigado pela entrevista! Quero dizer aqui que o Worst veio para mudar a visão do Hardcore no Brasil e que com muita dedicação iremos fazer a banda mais foda que pudermos. Nos vemos no Moshpit!

Fernando Custódio Moreira

Só mais um ser humano que adora Heavy Metal. Stay Metal Heavy Metal Forever.