Copa do Metal (Grupo C)

 

Na matéria de hoje entramos no grupo C da copa do mundo da Rússia. França, Austrália, Peru e Dinamarca ganham destaque nessa edição. Confira abaixo.

Abaixo as matérias sobre os grupos anteriores:

Grupo A

Grupo B

França

(Por Flávio Diniz)

A França é constantemente o país mais visitado do mundo. Além da romantizada e cobiçada capital Paris, com sua torre Eiffel, Arco do Triunfo, Museu do Louvre e as longas e sinistras catacumbas, cidades como Marselha, Lyon e Bordéus ajudam a construir a cultura e história do país e manter a economia em alta com a bela ajuda do turismo, que levou mais de 84 milhões de pessoas a alguns desses destinos em 2013.

Após receber a copa do mundo em sua casa e conquistar seu primeiro título de copa do mundo sobre o Brasil, (então atuais campeões e únicos a levantar a taça quatro vezes) em um dia em que os donos da casa dominaram a partida por completo, só sobrou aos brasileiros assistirem a partida da área mais vip possível, de dentro do gramado. Até hoje essa final não é bem digerida por nós brasileiros e frequentemente fica uma pulga atrás da orelha. “Será que jogaram pra valer?”. Com uma seleção que possuía em seu elenco Cafu, Roberto Carlos, Bebeto e Ronaldo (fenômeno), é realmente difícil aceitar uma derrota como aquela. Mas do outro lado havia o craque Zinedine Zidane, Barthez, Thuram, além das opções de Trezeguet e Thierry Henry. A seleção da França tinha um ótimo elenco e fez valer a força da torcida, levantando a taça pela primeira vez. Seu desempenho nas copas seguintes não foi tão estável. Chegaram a mais uma final em 2006 na Alemanha e perderam para a Itália em uma decisão de pênaltis. Além da derrota ainda assistiram ao seu maior ídolo despedir-se dos gramados ao da pior maneira possível, agredindo o zagueiro Materazzi com uma cabeçada no peito e levando o cartão vermelho como punição.

Muitas bandas se destacam na França e são conhecidas ao redor do globo. Benighted e Gojira são ótimos exemplos de bandas que representam muito bem o nome de seu país em festivais de metal. Há de se destacar também o excelente festival Hellfest que acontece todos os anos em território francês e que tem em seu cast os maiores nomes do metal mundial. No entanto, apesar das excelentes bandas citadas acima, a banda que escolhemos para representar este país é o PENUMBRA, que executa um Gothic Metal. A banda iniciou suas atividades em 1996 abordando em suas letras temas como “amor”, “anjos”, “morte” e “emoções”. Com vocal lírico feminino como principal característica contrapondo com vozes masculinas agressivas e agudas, o PENUMBRA foi uma das bandas de destaque em uma época rica de bandas do estilo. Nos anos 2000, seu álbum “The Last Bewitchment”, lançado em 2002, foi um de seus principais trabalhos. Abaixo você pode ouvir a música “Moaning on Earth” deste mesmo álbum.

 

 

Austrália

(Por Flávio Diniz)

Localizado na Oceania, a menor área continental do mundo, a Austrália é um país que merece destaque por muitos aspectos. Dentre eles, destacamos sua fauna. Devido ao seu isolamento do resto do mundo, sua biodiversidade é um tanto única. A maioria esmagadora de mamíferos, répteis, peixes, insetos e anfíbios são endêmicos da Austrália, isto é, só ocorrem neste lugar. Onde mais você encontra cangurus, coalas e ornitorrincos? Além disso, a Austrália é o único lugar do mundo onde o número de répteis peçonhentos é maior do que o de répteis inócuos, ou inofensivos.

A seleção australiana de futebol nunca teve grandes conquistas em sua história. Seus títulos incluem a Copa da Ásia de 2015 e quatro Copas das Nações da OFC (Confederação de Futebol da Oceania em inglês). Em 2006, a Austrália migra para a confederação asiática e passa a integrar um campeonato mais competitivo. Até deixar o futebol da Oceania, os australianos ao lado da Nova Zelândia eram os únicos campeões da Copa das Nações da OFC. Apesar de nunca ter sido uma grande potência no futebol mundial, a Austrália é a detentora da maior goleada já registrada no futebol. 31×0 (Isso mesmo, TRINTA E UM A ZERO) sobre a seleção da Samoa Americana. A disparidade no placar tem algumas explicações. Com problemas relacionados a passaporte, apenas um atleta acima dos 20 anos de idade estava apto para jogar a partida, além disso, a maior parte de seus jogadores sub-20 estava em períodos de provas nas escolas e faculdades. A seleção não viu alternativa a não ser enviar jogadores juvenis para o confronto. Três desses jogadores tinha na época da partida apenas 15 anos de idade e a maioria que disputou aquela partida, nunca havia disputado uma partida de 90 minutos de futebol até aquele dia.

Da capital do Estado de Vitória, Melbourne, surgiu a banda BE’LAKOR. Fundada em 2004, a banda já possui quatro álbuns de estúdio e executa um Death Metal Melódico com muita maestria. Técnica, agressividade e ótimas melodias compõem a atmosfera da banda. Suas letras abordam a natureza, o paganismo, mitologia grega, filosofia e histórias fictícias. BE’LAKOR é o nome de um demônio do jogo de tabuleiro Warhammer. “The Smoke of Many Fires” é a música que fecha o último álbum da banda, “Vessels”, lançado em 2016 e é a faixa que selecionamos para apresentar esta banda:

 

 

Peru

(Por Flávio Diniz)

Civilizações incas, ruínas, uma das melhores culinárias do mundo e linhas da civilização Nazca. Muita cultura e mistério envolvem a história do Peru. Nosso vizinho, que faz fronteira com o Brasil nos Estados do Acre e Amazonas possui uma rica história e bela geografia que atraem muitos turistas todos os anos. Com arquitetura datada do século XV, construída a mando de Pachacuti, um imperador inca, Machu Picchu, a cidade perdida dos incas é um dos locais mais procurados da América do Sul por turistas.

Trinta e seis anos foi o tempo que a seleção peruana permaneceu longe da Copa do Mundo da FIFA. Sua última participação havia sido em 1982 na Espanha. Na ocasião, a seleção foi eliminada ainda na fase de grupos, após empatar com Camarões e Itália (0x0 e 1×1 respectivamente) e sofrer uma goleada de 5×1 para a Polônia. Com dois pontos conquistados, os peruanos ficaram em último lugar do grupo A e em vigésimo no ranking geral da competição. Em 2017 após empatar com a Colômbia na última rodada das Eliminatórias Sul-Americanas, o Peru encerrou a disputa em quinto lugar, conquistando o direito de brigar por uma vaga na copa do mundo através da repescagem. Enfrentariam a Nova Zelândia em dois jogos. Na primeira partida, em território neozelandês, o placar não saiu do zero. No jogo de volta, no Peru, o país estava mobilizado e confiante na classificação. Farfán e Christian Ramos anotaram os tentos para os sul-americanos e selaram o retorno do Peru à copa do mundo. O povo peruano foi presenteado com a classificação e com um feriado para celebrar a vaga no torneio mundial. Na copa do mundo, os peruanos deverão contar com jogadores conhecidos dos brasileiros, como o são paulino Cueva e os flamenguistas Trauco e Paolo Guerrero.

Há trinta e três anos na capital Lima, a banda M.A.S.A.C.R.E. se formava. Em seu início a proposta musical da banda focava-se em um Heavy/Power Metal, mas com o passar do tempo, os peruanos decidiram inserir mais peso e agressividade em seu som, firmando-se de vez em um Thrash Metal com muito groove, mas sem deixar a melodia para trás. Algumas faixas mais cadenciadas denunciam a época mais heavy do grupo. A banda possui cinco álbuns de estúdio, além de um ao vivo em sua discografia. A maioria de suas músicas são cantadas em espanhol.

Abaixo indicamos a música “Sombras de la Humanidad”, faixa que abre o último álbum “Versos del Inframundo”, lançado em 2016.

 

 

Dinamarca:

(Por Leonardo Cantarelli)

Antes da década de 80 a Dinamarca era uma seleção irrelevante no futebol.  Entretanto quando começou a participar de competições oficiais foi para surpreender e fazer boas e inesquecíveis campanhas.

Sua estréia em Copas do Mundo foi em 1986. Chamou a atenção logo na fase de grupos, onde venceu os seus três adversários. Ganhou na primeira rodada da Escócia por 1 a 0, depois bateu a Alemanha por 2 a 0 e surpreendentemente goleou o Uruguai por 6 a 1. Pela exuberante campanha acabou apelidada de ‘Dinamáquina’. Alcunha que detém até os dias de hoje. Infelizmente, no Mundial organizado no México, os escandinavos acabaram eliminados na segunda etapa ao serem derrotados pela Espanha por 5 a 1. Um dos irmãos Laudrup, Michael, foi o grande destaque do Olsen-banden e começava a virar ídolo nacional.

Os dinamarqueses voltariam a ser o centro das atenções no início dos anos 90. Foram campeões da Eurocopa de 1992 (o primeiro título da história daquele país) e três anos depois levantaram o troféu da Copa das Confederações. Foi a primeira seleção do Velho Continente a vencer este torneio.  O goleiro Peter Schmeichel e os irmãos Michael e agora, Brian Laudrup eram os principais futebolistas daquela geração.

Voltaram a disputar uma Copa do Mundo em 1998, onde foram eliminados pelo Brasil nas quartas de final por 4 a 2.

Em 2002, a equipe Vermelha e Branca, avançou novamente para o mata-mata e nas oitavas acabou derrotada pela Inglaterra por 3 a 0.

Retornaram ao torneio mais importante de seleções em 2010 e pela primeira vez acabaram eliminados na primeira fase.

Para 2018, a equipe comandada por Age Hereide chega com talentos individuais passando bom momento na carreira como é o caso do meio-campista Christian Erikssen. O atleta de 25 anos vive a sua melhor temporada pelo Tottenham e foi decisivo na repescagem contra a Irlanda, onde anotou três gols.

Já no heavy metal ao se falar no Reino da Dinamarca, a banda mais famosa é o Mercyful Fate. O seu vocalista, King Diamond, acabou fazendo carreira solo e hoje é um dos principais nomes do metal mundial.

Ainda há o baterista do Metallica Lars Ulrich que foi adolescente para os Estados Unidos, mas todos sabem que nasceu no país nórdico.

Uma banda que poucos lembram que existe e destaco aqui é o ROYAL HUNT. O grupo oriundo de Copenhague iniciou as atividades em 1989 e desde então já lançou 13 álbuns. O som é um agradável Power Metal (com toques progressivos) que nos faz lembrar, de algum modo, Labyrinth, Fates Warming e Stratovarius, por exemplo.

A música que recomendo é “Wasted Time” que é do segundo álbum, chamado “Clown in The Mirror”.

Confira: