Por: (Arte Metal)

O GOV’T MULE, pra quem não conhece, surgiu em 1994 como projeto paralelo do guitarrista Warren Haynes (também vocalista) e do baixista Allen Woody, da ALLMANN BROTHERS BAND, que juntaram-se a Matt Abts (bateria). Woody faleceu em 2000, e a banda hoje conta com Jorgen Carlsson (baixo) e Danny Louis (teclado/guitarra).

A banda, que deixou de ser projeto faz tempo e o leitor entenderá o ‘porquê’, começou com a intenção de fazer Souther Rock/Jam. Agora chegam ao seu 16º trabalho no geral (viu por quê virou uma banda mesmo?), que foi lançado lá fora em 2017 e agora ganha sua versão nacional.

Em primeiro lugar, a banda hoje em dia soa muito mais abrangente, viajando pelo Rock Clássico, Southern Rock, Blues e com passagens nítidas até de Soul – ouça Sarah Surrender e se delicie com essa composição ‘black’ – fazendo com que “Revolution Come… Revolution Go” seja um álbum gostoso demais de ouvir.

O instrumental da banda soa impecável, afinal são músicos calejados, completos e com uma pegada atual. Sim, o GOV’T MULE não parou no tempo e traz toda sua sonoridade clássica com a roupagem dos dias de hoje. Haynes, para ajudar, é um ótimo cantor e bebe muito na fonte da Black Music. Vamos destacar as linhas de baixo de Carlsson que carregam um peso e vibrações incomuns nos dias atuais.

Destaque para faixas como Stone Cold Rage, que abre o trabalho da devida forma, Pressure Under Fire que é um Blues Rock interessantíssimo, a semi-balada The Man I Want to Be, a pegajosa Travelin Tune e suas influências Country Rock, além da longa faixa título que leva a banda aos seus tempos de Jam. Que disco bacana!

Resultado de imagem para Gov’t Mule – “Revolution Come... Revolution Go”

Nota: 8,5

Link sobre a banda: 

Site

Vitor Franceschini

Jornalista graduado, editor do Blog Arte Metal.